Eleições Presidenciais / Regionalização

Findas as eleições Presidenciais ... para a nossa causa, nada de novo.

O tema da Descentralização/Regionalização não foi aflorado substancialmente por nenhuma das candidaturas, e o pouco que se ouviu foi muito mau.
Assim:

"Tal como no passado considero a regionalização um erro" afirmou Mário Soares em Beja, não diferindo em nada da opinião, por omissão, de Cavaco Silva que meteu na gaveta a Lei da Regionalização que o seu governo aprovou e que, até à data, nada mais acrescentou.

Este é hoje um tema tabú, ou como, sobre esta matéria, diz a minha colega peruana, Nicole Bernex:

"Por eso muchos pensaron 'mejor nos quedamos como estamos para no correr el riesgo de tener mayores problemas”.

“Se necesita mucha educación, tenemos miedo de mirar hacia dentro del país. Nos cuesta comprender que todos somos complementarios”.

Comentários

Antonio Pinto Almeida disse…
Ou como dizia o outro:

“La regionalización es un aprendizaje lento, que tiene que pasar por la participación de las poblaciones. No se puede lograr algo a la fuerza”.
A. Castanho disse…
Sim, mas também não se consegue lograr nada sem se lutar (pacificamente, claro...) por esse objectivo! Nenhuma conquista "cai do Céu"!

E se um comboio está pronto a partir, mas a locomotiva está avariada, há que repará-la, ou então... substituí-la, porque o comboio, só pelos seus meios, nunca sairá da estação...

E é o que me parece que tem acontecido com a Regionalização: o poder político desinteressou-se, as populações não se consciencializaram o suficiente (também por ausência de esclarecimento) e, se não se fizer nada, daqui a vinte ou trinta anos iremos estar exactamente na mesma...

Daí a importância e a urgência, para mim, do debate desta questão nos meios de comunicação social.