REGIOES COM SAÍDA AO MAR

Albino Cardoso - AQUI d'ALGODRES
kearny, new jersey, United States


Creio que uma das razões, porque alguma gente é renitente à regionalizacão, tem muito que ver com o receio, de que àreas já em si subdesenvolvidas e abandonadas, continuem a ficar subjugadas as outras ja desenvolvidas, normalmente do litoral, contribuindo com isso para que aquelas, continuem cada vez mais pobres e esquecidas. Podemos aperceber-nos desses receios, por parte das gentes da chamada "Beira Interior", de Tras-os-Montes e até do Minho.

Já outras vezes afirmei, que uma das maneiras de atenuar esses receios, pode (e em meu ver deve) ser a descentralizacão (deslocalização) de servicos, para algumas das cidades e vilas mais pequenas e pobres. Com isso nao só criariamos oportunidades de desenvolvimento, como iriamos mostrar uma solidariedade para com essas terras. Ao mesmo tempo elimar-se-iam pequenas rivalidades entre as maiores cidades regionais, que para continuarem a desenvolver-se não necessitam desses servicos, pois já possuem muitos outros que o desenvolvimento potenciaram.

Em tudo deve imperar o sentido comum e, eu estou convicto, de que se esta medida for implementada, irá gerar uma maior adesao ao processo descentralizador, sempre e quando tambem se concretizem regioes de media dimensao, mas em que em todas elas haja uma saida ao mar.

Creio tambem que se forem criadas, pequenas (em dimensão) regiões metropolitanas no Porto e em Lisboa, muito contribuiram para o esbatimento dos receios regionalistas ou descentralizadores.

Comentários

A. Castanho disse…
Concordo. Há que procurar definir Regiões bem equilibradas e não excessivamente polarizadas. Seria um contra-senso lutar contra o centralismo disseminando vários pequenos centralismos...

Mas há que ser realista e ter em atenção questões de natureza económica e de racionalidade funcional.

E de "massa crítica" mínima para certas actividades.

Um longo e árduo trabalho o que temos pela frente, que nunca estará pronto a tempo se só começarmos a fazê-lo em 2009, na altura do próximo referendo...
al cardoso disse…
Bem hajam pela divulgacao, desta humilde voz.

Saudacoes beiras desde longe.