A lenga-lenga anti-regionalista

«Acredito na descentralização, mas não acredito na regionalização. O nosso país, no seu todo, tem a dimensão correspondente a uma região média europeia. O caso dos Açores e da Madeira é muito especial, pela geografia e pela história. Não podemos correr o risco de perder uma coesão nacional que se diluiria se houvesse regionalização.»

Vasco Graça Moura ao JN de hoje. A lenga-lenga dos anti-regionalistas continua a mesma passados 10 anos, assente apenas em mitos pacóvios e mentiras grossas.

Acreditam na descentralização, mas não se lhes conhece uma única medida nesse sentido.

Distorcem o mapa da Europa e dizem coisas tão incríveis de tão falsas como "o nosso país, no seu todo, tem a dimensão correspondente a uma região média europeia" (!?!?). É que o nosso país, no seu todo, é superior ao país médio da UE. Eu sei que é muito mais fixe passarmos a vida a dizer que "o país é pequenino, coitadinhos de nós", mas na verdade o país é mediano, grandito até, para os padrões europeus... A diferença é que a maioria dos países, mesmo sendo mais pequenos que o nosso, estão regionalizados.

Last but not least, a "coesão nacional". Será "coesão nacional" a diferença brutal do PIB per capita do Norte em relação ao do Vale do Tejo? Dane-se a coesão nacional se assim for. Os Açores e a Madeira estão mais "coesos" agora ou antes de estarem regionalizados? É fácil lembrar Jardim, e pelos vistos também já ninguém se lembra dos movimentos bombistas que defendiam a independência dos arquipélagos antes da regionalização. E também é fácil esquecer o crescimento brutal da emigração portuguesa para Espanha, sobretudo partindo do Norte e interior do país, não será isso atentatório à "coesão nacional"? O nosso modelo de desenvolvimento deve então continuar a inspirar-se no modelo grego? Pode-se "retalhar" o país em freguesias, concelhos, distritos, mas jamais em regiões porque a seguir ia querer ser tudo um país independente? Será? E porque seria?

Publicado no "renas e veados"

Comentários

Vasco Graça Moura é um excelente escritor, sofrível cidadão e medíocre político.

O último almocreve do cavaquismo nunca trouxe uma ideia para a política. É um troglodita que ainda defende a pena de morte.
O Raio disse…
Regionalização? Para quê?
O problema é exactamente este, para quê?
Se fossemos integrados em Espanha, isto é, se a península ibérica fosse um só país, Portugal inteiro com os seus dez milhões e meio de habitantes podia ser uma única região pois não ficaria muito longe da Andaluzia com os seus 7.357.558 (fonte: INE espanhol).
Mas o problema é outro, enquanto estivermos na União Europeia não podemos regionalizar pois a regionalização é actualmente uma manobra de Bruxelas para enfraquecer os países e para os poder dominar melhor.
E é esta a verdadeira razão para a regionalização.
Eu sempre fui favorável à regionalização mas, agora, com estes apetites europeus E espanhóis) suspendi o meu apoio à regionalização.
Calécia disse…
Claro! Os nossos problemas e preocupações são só esses... Espanha e o domínio de Bruxelas! Como é que ninguém ainda se apercebeu disso?! Ai se o Cervantes fosse vivo... Talvez tivéssemos salvação!
Carlos Santos disse…
caro raio, se Portugal fosse de ESpanha Portugal nem existia, pois o Norte de Portugal faria parte da Galiza e penso que ainda regionalizariam em mais regioes o resto de Portugal, uma regiao para Algarve e uma para as Beiras e talvez uma para o resto.
Carlos Samtos disse…
Já agora meto aqui 2 comentarios interessantes que vi no norteamos a esses comentarios do Graça Moura

--
Vitor disse:

Esta gente da tanta importancia À coesão nacional

mas qual o mal de portugal se dividir e umas regioes ganharem independencia? alguem vai morrer? alias antes pelo contrario, haveria dinheiro para maternidades, hospitais, menos pobreza e não haveriam tantas mortes.

o que interessa é termos melhor qualidade de vida e termos as nossas regiões potencializadas ao máximo.
Se o Norte ou Algarve ou outra regiao for independente pois bem, caso isso a faça melhorar que seja feito. Que mania esta gente tem de querer que o pais fique todo junto e todo coeso.
A Irlanda separou-se do Reino Unido e melhorou muito economicamente de 8 a 80. Os especialistas dizem que se a Escocia for independente acontecerá o mesmo. Temos países pequenos como Luxemburo que estão muito melhor potencializados e aproveitados que todo o Portugal.
O que interessa é melhorarmos economicamente, termos maior qualidade de vida.
A independencia favorece esse processo portanto acho ridicula esta gente querer que o povo fique mais pobre e com pior qualidade de vida so para que o mapinha de Portugal continue o mesmo. Isto é um insulto ao povo.
Hoje em dia nem ha fronteiras, somos todos UE, deixem lá as regiões serem independentes para se desenvolverem.

Um Norte independente seria a melhor coisa que podia acontecer à nossa região.
Nós nem somos Lusitanos, somos Galaicos.

11 de Junho de 2007 21:00
coesao nacional o tanas disse...


--
coesao nacional o tanas disse:
tambem concordo com o vitor.

que me interessa a coesao nacional, se vejo a coesao da minha familia destruir-se?
Para mim em primeiro lugar está a minha familia, a minha região e só depois o país.
Eu quero é a coesão da minha familia e que não tenham de estar desempregados, andar a emigrar para outros países europeus e a por em causa a coesão da nossa familia.
Agora metade da nossa familia já nem se vê durante o ano, à excepcção dos natais e mesmo assim não podem vir todos.

Esta treta do nao por em perigo a coesão nacional, portanto vamos todos aguentar viver pior também me enerva. Como você disse é um insulto ao povo.

Além do mais qual o problema em pôr em perigo a coesão nacional do minho ao algarve? O norte não é uma naçom? pois então, deixem-no ser nação e governar-se a ele próprio que bem merece. Deixemos os egoismos e nacionalismos imperialistas bacocos e primários de parte.

12 de Junho de 2007 1:02
Anónimo disse…
estou de acordo com os comentarios do carlos santos
Anónimo disse…
"mas qual o mal de portugal se dividir e umas regioes ganharem independencia? alguem vai morrer? alias antes pelo contrario, haveria dinheiro para maternidades, hospitais, menos pobreza e não haveriam tantas mortes."

grande verdade!

em nome desta suposta unidade do minho ao algarve, temos de ver a nossa qualidade de vida piorar e ver mais pessoas morrer.

FonsoFM
Anónimo disse…
Estejam tranquilos. Maomé vai enviar todos os anti-regionalistas para o fogo do inferno. E os regionalistas para o PARAÍSO, onde terão, à sua espera, cerca de... 300 VIRGENS!!!... Para cada um? Não. Para todos. Tambem, são tão poucos...