Sampaio e a Regionalização

Da sessão final do seminário promovido pela Universidade Católica, intitulado "Economia e Finanças da Descentralização" extraimos algumas frases que consideramos mais importantes para os nossos objectivos.


Jorge Sampaio
“a regionalização é uma temática central para o nosso desenvolvimento e precisava de ser tratada de forma séria”.

"o tema da regionalização foi uma preocupação dos dois mandatos que cumpri"

“Não há argumentos cientificamente provados que desaprovem a regionalização”

"Os cidadãos têm de perceber que esse novo sistema (regionalização) integraria um mecanismo de fiscalização e regras claras. O desenho de tal reforma terá de enfrentar poderosas resistências ideológicas, bem como inércias enraizadas na matriz centralista”

"Não pode haver calendários para a regionalização?. Mas, em Portugal, não havendo calendários, não há nada"


Miguel Cadilhe
“sou um adepto de uma forte descentralização política, regionalização e municipalismo”.

“ o Estado português além de pesado, é pouco eficiente”.

“Não temos, no Continente, um contra-balanço às duas autonomias insulares, nem um contra-balanço à administração central”

“Se houvesse regiões fortes e legitimadas no Continente, um tal cúmulo TGV e OTA seria muito mais analisado e poderia ter sérias dificuldades em ser politicamente aprovado. O poder central seria interpelado pelos poderes regionais”.

“A Linha do Douro, desactivada há 20 anos, morreu às mãos de um economicismo centralista”

Rui Moreira
“a regionalização não é um problema do Porto, mas sim, de Portugal e dos portugueses”.

Comentários

Anónimo disse…
O vooso Blog está de parabéns!
Faltava o Sr. Dr. Jorge Sampaio
para o emoldurar. Ele é daquelas
eminências pardas que tem sempre
elevados pensamentos e conceitos
sobre tudo e para todos os gos-
tos.

Qual o país que pode prescindir desta estirpe de políticos e
personalidades? Portugal é rico
neste tipo de genomas em políti-
ca. Não tên nem defeitos, nem virtudes de maior, são como os
heróis das tragédias gregas: to-
do o mal que fazem é por desco-
nhecimento.

Este apoio Dr. Sampaio decorre
do seu iluminado pensamento: Se
tivéssemos governado na base de
regiões outro galo cantaria...
De: camaradita

Para mim a campanha em curso pe-
la regionalização é das mais gi-
gantescas campanhas demagógicas
que teve lugar em Portugal nos
últimos anos. É preciso cilin-
drar os tradicionais órgãos de
poder locais, na base dos quais
nos afirmámos como país e nação,
os únicos que as populações ti-
veram e têm à mão há cerca de
9 séculos.

Será que os regionalistas não
dão conta disto? Que esta pro-
posta é contra as populações
desempregadas e pobres? O
que lhes passaria a restar? A
esperança que os que governa-
ram mal até aqui passem a go-
vernar bem?

Não está bem visível que o jo-
go é outro e pouco ou nada tem
a ver com o povo?
Suevo disse…
Eu devo ser dos poucos que nunca gostei de nada dito pelo Bensaude Sampaio.

Este ultimo anónimo fala em cilindrar o poder local, não sei a que se refere, mas também não interessa.

Depois fala em continuar este modelo, de facto neste modelo afirmamo-nos, mas afirmamo-nos como uma das “regiões” mais miseráveis da Europa, mas pelos vistos há quem queira mantê-lo, e de certeza que não é para defender os interesses do povo.

As populações segundo o modelo dos tais últimos nove séculos só tem duas opções, opções essas que já são as mesmas há muitos séculos, ou vão para Lisboa ou emigram para bem longe.

A diferença é que pela primeira vez parece haver alguns que timidamente, mas mesmo MUITO timidamente começam a querer lutar contra isso.
Anónimo disse…
Sei.. A famosa regionalização vai resolver um ou dois problemas. Mas tal como a revolução cubana vai criar três grandes problemas: pequeno almoço, almoço e jantar. Se por "milagre" hoje houvesse eleições para as cinco regiões, têm dúvidas que os vencedores seriam os actuais centralistas... mais um milagre... acreditem...