sábado, junho 28, 2008

Mendes Bota concorre à liderança do PSD/Algarve

Mendes Bota anunciou esta sexta-feira que é candidato para um novo mandato à frente da distrital do PSD Algarve. Mendes Bota vai disputar o cargo com Macário Correia e aproveitou o anúncio para voltar a defender, ao arrepio da liderança nacional do partido, a regionalização.

Demitiu-se para voltar a concorrer à liderança. Mendes Bota, que não apoio Ferreira Leite, parte para as eleições da distrital do PSD com o apoio de 13 das 17 secções do PSD do Algarve.

Mendes Bota explica que se colocou ao lado de Santana Lopes porque só podia defender um candidato a líder que se assumisse regionalista. Nesse sentido, bota considera que com o PS o Algarve só tem vindo a perder.

«O orçamento de Estado saca do Algarve milhares de euros por ano mas dá apenas umas reles gorjetas de investimento público» à região, critica o candidato.

Mendes bota da o exemplo do empréstimo para a barragem de Odelouca «que vai sair do bolso dos contribuintes, a requalificação da estrada 125 vai sair dos fundos comunitários e o hospital central será uma parceria público-privada».

As eleições para o PSD Algarve estão marcadas para o próximo dia 11.

"TSF"
.

9 Opiniões

At sábado jun 28, 01:45:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Caros Regionalistas,
Caros Centralistas,
caros Municipalistas,

O comportamento passado aparece sempre projectado no futuro, quer queiramos quer não.
Sem as tais alterações nas políticas, passando de conjunturais a estruturais, indicadas no comentário ao "post" anterior, será impossível perspectivar mudanças políticas qualitativas que potenciem os recursos das diferentes 7 Regiões Autónomas a criar e implementar, no sentido do desenvolvimento e do equilíbrio social.
Será ainda impossível calar os queixumes habituais que mencionam sempre a retirada de recursos muito superior à sua redistribuição por via do Orçamento Centralista do Estado.
Esse diferencial para algum lado tem de ir e, pelas manifestações de desagrado ancestrais das regiões e dos municípios, nunca ou tarde demais regressam às suas origens.

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 
At sábado jun 28, 06:22:00 da tarde, Blogger Rui Farinas said...

Parabens ao Algarve que tem um politico que ousa levantar a sua voz a favor da sua região,cujo interesse julga mais importante do que sujeitar-se aos ditames do seu partido.É uma frustração e até uma vergonha para o Norte que não exista aqui um político com a mesma determinação.Coragem Algarve na vossa luta pela regionalização,sejam um exemplo para o resto do país.

 
At sábado jun 28, 09:39:00 da tarde, Anonymous Renato Oliveira said...

Caros amigos.

É de politicos como este que a cidade do Porto e o Norte necessitam.

Gostaria que fossem eleitos Homens que não se rendessem ao poder partidário o que convenhamos para eles não é nada fácil.

Por isso defendo há muito que somente a criação de um Partido "Regional" Livre, seria capaz de tal desiderato.

Precisamos de um líder e a criação de um Partido com estas caracteristicas para passarmos das palavras aos actos.

Eu estarei na 1ª linha para ajudar a atingir esta grandiosa meta.

Abraço,

Renato Oliveira

 
At sábado jun 28, 11:40:00 da tarde, Blogger Rui Moreira said...

Parabéns pelo blogue. É deste combate pela regionalização que precisamos e vocês fazem-no perfeitamente na blogosfera. Está aqui um autêntico dicionário acerca das regiões administrativas.
Talvez passarem do blogue para um Movimento fosse boa ideia, para esclarecer as pessoas através de palestras não? Fica a proposta. Continuação e cumprimentos.

 
At segunda jun 30, 10:58:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Caros Rui Farinas e Renato Oliveira:
Não me estranha nada que haja políticos como Mendes Bota, regionalistas convictos e determinados, em regiões como o Algarve e o Alentejo, e até Trás-os-Montes, onde a identidade regional é muito forte.
Agora a razão para este tipo de políticos não existir no "Norte" é clara: o "Norte" é uma pseudo-região, sem identidade, não existe para a maioria das pessoas. É um saco de gatos, onde se tenta misturar alhos com bugalhos, que é como quem diz, o Entre-Douro e Minho litoral, urbano, industrial e desenvolvido, com o Trás-os-Montes rural, abandonado e esquecido. Não me admira nada que a esfera de identificação desta região não saia muito dos limites da cidade do Porto.
Se estas duas realidades fossem divididas em duas regiões, Entre-Douro e Minho e Trás-os-Montes e Alto Douro, não tardaria a aparecer uma identidade regional, e políticos a defendê-la, se houvesse vontade política e ninguém voltasse a inquinar o processo como em 98.

Cumprimentos,
Afonso Miguel, Beira Interior

 
At segunda jun 30, 08:46:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Caro afonso Miguel,

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 
At segunda jun 30, 11:42:00 da tarde, Anonymous Renato Oliveira said...

Caro Afonso.

Concordo consigo.

Mas também quando falamos da região algarvia, ela também tem uma identificação disforme. O algarve maritimo não tem nada com o seu interior.

Mas é dessas diferenças que muitas vezes se consegue criar a harmonia.

Abraço

Renato Oliveira

 
At quarta jul 02, 01:47:00 da manhã, Anonymous zangado said...

Concordo com os comentários de Rui Farinas e Renato Oliveira, apenas lembrando ao primeiro que ainda há políticos do Norte a defender a região e os seus valores e interesses bem como muitos cidadãos com ou sem filiação partidária. Tomei hoje conecimento do seu blog que apreciei bastante, mas há outros blogs que também defendem o Norte do centralismo e domínio de Lisboa, como o meu. Quanto ao segundo, a existência de um partido regional penso que seria importante mas devo lembrar-lhe que a constituição que os nossos (salvo seja) partidos aprovaram o proíbe. Porque será? Quanto ao sr. Afonso Miguel li com atenção já algumas suas intervenções e comentários, principalmente o que fez ao meu post sobre o centralismo de Lisboa, a TAP e a ANA, reproduzido neste blog em 25 de Junho pois fez um retrato exacto da realidade portuguesa actual. Com esse comentário concordo inteiramente pois até já vivi um ano na Covilhã e dois na Régua. Quanto ao resto não acho que não exista uma identidade regional do Norte e já conheço mas discordo da sua proposta (que era a do PS no referendo) de dividir o Norte em 4 partes: 2 do litoral e 2 do interior.Comprendo alguns dos seus argumentos mas, para mim, esse mapa foi um dos responsáveis pela vitória do não no referendo de há 10 anos.
Com os melhores cumprimentos
zangado

 
At segunda jul 07, 12:00:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Coisa curiosa. Os algarvios não votam Mendes Bota. É deputado, mas com resultados "humilhantes" para o PSD Algarve.

 

Enviar um comentário

<< Home