sexta-feira, outubro 31, 2008

Ainda o PIDDAC: Disparidades Financeiras

Guarda é distrito penalizado



JN, 17/10/2008

Aguiar da Beira volta a não ter inscrito em PIDDAC nenhum investimento da administração central. Tal como em 2008, quando a construção da variante à vila desapareceu da lista, para desânimo do presidente Fernando Andrade.

Já Trancoso não tem obras do Estado pela primeira vez, depois de, no ano em curso, ter contado com mais de 491 mil euros.

Nesta "liga dos menos contemplados" há ainda Manteigas, que vai receber mil euros para 'fechar' o projecto de requalificação urbanística da Praça Luís de Camões.

Almeida também foi contemplada com pouco mais de 18 mil euros, destinados a actividades culturais, e o Sabugal poderá contar com 20 mil para melhoramentos em seis freguesias do município raiano.
Para Mêda vão cerca de 28 mil euros, a gastar em cultura e na requalificação urbana.

Curiosamente, estas cinco autarquias são presididas por sociais-democratas.

Contas feitas, o distrito da Guarda perde quase 2,5 milhões de euros com este PIDDAC. Ao todo, a administração central inscreveu 55,4 milhões em obras para o ano de 2009.


400 milhões € para Lisboa


Lusa

Os 400 milhões de euros inscritos no PIDDAC para os 16 concelhos do distrito de Lisboa são maioritariamente distribuídos por cinco municípios: Lisboa (284 milhões), Mafra (11 milhões), Amadora (9 milhões), Loures (sete milhões) e Odivelas (quatro milhões).


No concelho de Lisboa, a ligação do metropolitano entre a Alameda/São Sebastião, com 47 milhões, e o prolongamento da linha vermelha até ao aeroporto, com 56 milhões, absorvem a maior fatia dos investimentos, mais de metade dos quais financiados com fundos comunitários .

O Porto de Lisboa conta também com uma dotação significativa: vão ser investidos 6,3 milhões de euros no alargamento do terminal de contentores de Alcântara (Fase 1) e dez milhões de euros na reabilitação e reforço do cais entre Santa Apolónia e o Jardim do Tabaco.

Para a aquisição do terminal fluvial do Cais do Sodré estão previstos um milhão de euros.

A ampliação das instalações da directoria nacional da Polícia Judiciária é outro dos projectos que implica verbas avultadas, contando com 25 milhões de euros do PIDDAC.

Para a promoção da competitividade, uma medida inserida no programa de desenvolvimento agrícola, rural e ambiental, estão destinados 32 milhões de euros, 24 dos quais provenientes de financiamento comunitários.

O programa de bolsas de estudo para o ensino superior vai ser reforçado com 10 milhões de euros.

As medidas de apoio à modernização e investimento empresarial vão receber 5,5 milhões de euros através do Prime, mais 1,3 milhões através do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).

Mafra é o segundo concelho do distrito de Lisboa com maiores despesas de investimento, atingindo os 11 milhões de euros.

A verba vai ser quase integralmente aplicada na segunda fase do Porto da Ericeira, a desenvolver entre 2009 e 2010 e que vai custar dez milhões de e euros.

1 Opiniões

At sábado nov 01, 10:02:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Caros Regionalistas,
Caros Centralistas,
Caros Municipalistas,

Esta igualdade ancestral na manutenção das desigualdades ou assimetrias tem vindo a prejudicar todas as regiões fora da zona geográfica da nossa cidade-capital ("longe da vista, longe do coração"). E as cidades localizadas quanto mais longe daquela centralizade muito pior, não bastando anunciar autoestradas ou seja lá o que for (mesmo computadores como qualquer caixeiro viajante na visita a futuros ou actuais clientes; nunca me passou pela cabeça ver um primeiro ministro procurar a colocação comercial de um produto fabricado por uma empresa provada numa Conferência Internacional de Países de vários continentes; a partir de agora, qualquer empresa tem legitimidade para exigir ao primeiro ministro que lhe coloque os produtos nos mercados que lhe merecer preferência).
O que era necessário, mesmo na versão centralizada e centralizadora da governação actual e assim mantida, era mesmo anunciar e implementar verdadeiras políticas~com estratégias de desenvolvimento bem definidas e não acções casuísticas, estas últimas só prenunciadoras da inexistência de ideias estratégiacs ao serviço do desenvolvimento.


Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 

Enviar um comentário

<< Home