segunda-feira, novembro 24, 2008

MAN

MOVIMENTO ALTERNATIVO DO NORDESTE

 - É tempo dos Movimentos Cívicos - "Cidadãos Independentes" - terem voz activa em Portugal.

- O MAN considera a criação de Regiões Administrativas um factor de estabilidade
social, que contribui para o desenvolvimento das Regiões do País.
Artigo nº 40.º dos Estatutos.


para mais informação consultarhttp://mannordeste.blogspot.com/


Da nossa parte, saudamos, calorosamente, o aparecimento de mais um movimento de cidadãos independentes, que se têm vindo a organizar, no sentido de constituírem uma alternativa ao pensamento cristalizado e seguidista dos partidos políticos. Este é um Movimento ainda mais importante porque, para além emanar do interior do país, é, também, por força dos seus estatutos, um movimento pro-regionalização.
.

3 Opiniões

At segunda nov 24, 11:15:00 da manhã, Blogger hfrsantos said...

A palavra independente nao é favoravel a Regionalizaçao, relança medos nos indecisos e da mais um argumento aos portugueses que estao contra a Regionalizaçao.
A palavra independente é contra os interesses da maioria dos portugueses sobretudo os que precisam da Regionalizaçao para voltar a ver o progresso na sua Regiao.
Mesmo que sejam cidadaos 'independentes', a força da palavra independente e as emoçoes que desperta no coraçao dos portugueses que sao grandes patriotas é desfavoravel aos objetivos da Regionalizaçao.
QUeremos a Regionalizaçao para poder decidir o futuro da nossa Regiao e nao precisamos da palavra independente associada a este modelo politico.

 
At segunda nov 24, 04:42:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Em nome do MAN - Movimento Alternativo do Nordeste agradeço a sinceridade demonstrada com a colocação de conteúdo, relacionado com este Movimento Cívico.
O Presidente do MAN
Fernando Bebiano

Referindo-me à análise, da palavra independente, feita por hfrsantos respeitamos a sua visão, no entanto, esclarecemos que a inclusão, no logotipo do MAN das palavras "cidadãos independentes" tem como significado, aquando da "possível" apresentação de listas, para órgãos autárquicos ou das futuras Regiões, a diferença: serão listas independentes das listas dos partidos políticos, ou seja: serão listas que nunca poderão ser conotadas com qualquer partido político mas listas do Movimento Cívico MAN NORDESTE, onde cabem todos os cidadãos independentemente de estarem ou não estarem ligados a partidos políticos. O MAN abrange todos os cidadãos, com ou sem ideologia política. A liberdade de cada um poder integrar ou não as "possíveis" listas apoiadas pelo MAN. O MAN não professa qualquer ideologia política. Bate-se, de entre outras coisas, pela Regionalização.

 
At segunda nov 24, 08:12:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Caros Regionalistas,
Caros Centralistas,
Caros Municipalistas,

Como movimento nascido numa das regiões do interior mais esquecidas do nosso País é de incentivar a sua dinâmica a favor da regionalização.
No entanto, como se tem vindo a demonstrar neste "blogue", a regionalização administrativa já se encontra atrasada dezenas de anos e não cumpre as mínimas exigências para iniciar o desenvolvimento de todas as regiões do nosso território que são ricamente diferenciadas, sob todos os pontos de vista.
Parece tratar-se de um movimento cívico dinâmico e moderno e tendo essas características não se compreende que se limite a defender a implementação de regiões administrativas, comprovadamente ultrapassadas apesar de estarem contempladas no texto constitucional, MAS HÁ MAIS DE 32 ANOS - NÃO ESQUEÇAM.
Também lá estão as Regiões Autónomas, relativamente às quais, ao contrário daquelas, já existe uma grande experiência política e só falta alargar o texto constitucional ás 7 Regiões Autónomas do território continental.
É assim tão difícil de perceber que, nos tempos que correm, o mais importante é o desenvolvimento equilibrado e autosustentado e não o crescimento económico a todo o gás e a toda a força, com os resultados dramáticos que estão à vista e que se intensificarão ainda mais nos tempos mais próximos?
Será que a sensatez só existe no dicionário da nossa língua e desapareceu, de vez, do comportamento humano?
O que me parece é que, pelo andar das coisas, actualmente e num futuro próximo, iremos amargar severamente a ligeireza política de muitas dezenas de anos e a falta de sentido politicamente estratégico de quem nos tem dirigido, não potenciando o desenvolvimento equilibrado e autosustentado.
Convirá meditar nisto tudo.
De qualquer modo, muitos parabéns pela iniciativa cívico-política.

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 

Enviar um comentário

<< Home