sexta-feira, fevereiro 26, 2010

«Desertificação pior que o desemprego»

D. António Montes, Bispo de Bragança, preocupado com a desertificação

Entrevistado pela Renascença, D. António Montes lembra que há aldeias sem um único jovem, e também não há empregos para fixá-los.

Mesmo sem desemprego que se compare ao do litoral, há situações de pobreza. O Bispo de Bragança garante que se não fossem as instituições sócio - caritativas da Igreja ainda seria pior:

Nesta entrevista, o Bispo de Bragança lamenta ainda as recentes alterações à Lei que conduzem à desestruturação familiar. Para D. António Montes, num país onde a população está cada vez mais envelhecida, urgente era o Estado ajudar mais as famílias para que tivessem mais filhos... e os apoios podiam começar pelos impostos.

A Diocese de Bragança-Miranda tem mais de quatro séculos e meio de existência e corresponde, em território, ao distrito de Bragança. É das Dioceses que mais sofre com a desertificação populacional e a formação de leigos tem sido uma das prioridades pastorais, para contrariar a falta de sacerdotes. Uma realidade que, na opinião de D. António Montes, tem directamente a ver com a “falta de vivência cristã”.

|Diário de Trás-os-Montes|