sábado, março 27, 2010

ONU aposta na Beira Interior

ONU abre casa em Idanha-a-Nova

A comissão em que estão envolvidos os maiores produtores da indústria de música e de eventos vai ficar em Idanha-a-Nova.

Idanha-a-Nova vai receber a sede da Comissão para Soluções Técnicas do Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP). Os novos serviços daquele programa tutelado pelas Nações Unidas surgem após o primeiro Meeting da UN Music & Environment Iniciative Stakeholder, que decorreu esta semana, em Arendal, na Noruega. Nesse encontro ficou ainda decidido que em Setembro, o novo Meeting será realizado naquela vila raiana.

Segundo apurámos, a reunião, em que participou o vice-presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, e onde estiveram presentes 24 representantes da Indústria da música a nível mundial, ficou aprovada uma carta de intenções, como primeiro passo para criar uma Rede de actuação Mundial e um compromisso de financiamento, com o apoio da UNEP, e de alguns dos mais representativos participantes do encontro.

Nesse sentido, foram criadas cinco áreas de actuação, a saber: Cooperação dos Agentes desta Indústria (produtores de Gravação, Músicos, Produtores de Grandes Eventos, Consultores); Soluções Técnicas; Regulação (Certificação); Recursos (Humanos, Educação); e Audiências (Comunicação, Educação).

De acordo com Armindo Jacinto, no âmbito daquelas áreas de actuação, “em Idanha-a-Nova ficará sediada a Comissão para área técnica, numa parceria entre a UNEP e autarquia idanhense”.

A abertura desta comissão em Idanha-a-Nova é vista como uma mais-valia, não só para o concelho raiano, mas para todo país, tanto mais que as outras duas comissões ficarão instaladas em Londres e na Austrália. Fica também demonstrada a forte aposta que a autarquia idanhense tem feito nesta área, como o demonstra o próprio Boom Festival, e todo o trabalho desenvolvido no âmbito do turismo, em especial do turismo de natureza e património, tendo em Armindo Jacinto o seu grande impulsionador e estratega.

Na capital Inglesa fica sediada a comissão para a primeira linha de actuação, envolvendo a própria UNEP e os grandes produtores de Eventos, como a entidade responsável pelo Festival Republic de Melvin Benn, que produz o Festival Glastonbury (onde participam 300.000 pessoas); o produtor americano Charlie Jones da produtora Lollapalooza, que produz entre outros o Festival Lollapalooza e Austin City Limits (mais de 300.000 participantes), nos Estados Unidos da América, e a produtora Good Mood que produz o Boom Festival em Portugal - 30.000 participantes. A terceira Comissão ficará na Austrália, sendo apoiada pela UNEP e pela produtora Peats Ridge que realiza o Peats Ridge Festival (10.000 pessoas).

Segundo Armindo Jacinto, é destes “escritórios que sairão propostas de actuação nas diversas áreas a serem aprovadas no próximo Meeting organizado pela UNEP, tendo ficado definido a sua realização em Portugal, em Idanha-a-Nova, no próximo mês de Setembro, onde será assinado o compromisso final das acções propostas por estas Comissões, coincidindo com o lançamento do Programa final da UNEP para esta iniciativa”.


Por: João Carrega

25 de Março de 2010
Jornal Reconquista (Castelo Branco, Beira Interior)

Etiquetas: ,

2 Opiniões

At sábado mar 27, 09:50:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Caros Regionalistas,
Caros Centralistas,
Caros Municipalistas,

O pior sintoma é que estas inciciativas ímpares provenham de instituições exteriores ao nosso País e não de instituições políticas portuguesas cuja obrigação primária e primeira seria apresentar projectos com estas características enriquecedoras e potenciadoras dos nossos recursos próprios.

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 
At domingo mar 28, 06:40:00 da tarde, Anonymous José A Pinto said...

Absolutamente surpreendente como uma instituição deste tipo se estabelece em pleno interior do país. Sem dúvida, um exemplo a seguir.

 

Enviar um comentário

<< Home