quarta-feira, março 10, 2010

Regionalizar e não só ...

António Almeida Felizes


Pois .. a regionalização é, sem dúvida, cada vez mais importante e urgente em Portugal porque se atingiu o grau zero em termos de iniciativa regional e tudo se transformou em iniciativa nacional.

Mas a regionalização, por si só, não chega para promover a tão reivindicada reforma da administração do Estado. Apesar de ser uma reforma estrutural, não tenhamos ilusões, não vai resolver todos os problemas que afectam o nosso sistema político-administrativo. Estes só se resolvem com uma, quase revolução, do actual quadro normativo vigente - ou seja, temos também que, ter novas leis eleitorais, menos deputados nacionais, temos que criar os famigerados ciclos uninominais, temos que ajustar administrativamente os municípios e as freguesias, etc.

A experiência de outros países mostra-nos que a regionalização não é a panaceia capaz de resolver, como que por magia, todos os nossos problemas administrativos e de desenvolvimento. Portugal só pode dar o salto em frente e inverter o actual estado de marasmo económico e de desenvolvimento com o recurso a outros instrumentos e, acima de tudo, com o empenho pessoal, profissional e politico de todos os Portugueses. Mas, para que este esforço tenha sucesso, Portugal terá que estar melhor organizado e a organização administrativa tem obrigatoriamente de passar pela Regionalização.

Não há, também, evidência que indique que fazer a regionalização leva obrigatoriamente e no imediato á melhoria económica e social. Todavia, há evidências que indicam que o centralismo prejudica.

Apesar da regionalização, sozinha, não ser o remédio para curar todos os nossos males, ainda assim, com a criação das regiões administrativas vamos ter, seguramente:
  • maior proximidade e maior democraticidade na tomada de decisões;
  • maior inovação ao nível das políticas publicas com especificidade local e regional;
  • mais concorrência inter-regional que terá como consequência um maior rigor e uma maior eficiência na gestão da coisa pública;
  • aprofundamento da democracia representativa, diminuindo, desta forma, o peso excessivo do Estado e o centralismo;
  • reforço do peso das organizações da sociedade civil que actuam em benefício do desenvolvimento local e regional;
  • um atenuar das desigualdades e das assimetrias locais e regionais e reforçar o desenvolvimento regional pelo melhor aproveitamento dos recursos endógenos;
  • distribuir de forma mais justa, equitativa e racional a riqueza gerada no todo nacional, evitando a excessiva concentração de investimento numa só região, a zona envolvente de Lisboa.
A regionalização será sempre oportuna, mas é, unicamente, instrumental e a experiência mostra-nos que regionalizar não é suficiente para acabar com todas as actuais disparidades regionais de desenvolvimento. Todavia, isso não invalida que os seus efeitos, são no sentido da coesão e não da divergência. A título de exemplo veja-se o que acontece hoje, em termos de desenvolvimento e convergência, nas regiões autónomas dos Açores e Madeira.

15 Opiniões

At quarta mar 10, 06:53:00 da tarde, Anonymous José A Pinto said...

Claro que só regionalizar não resolve os graves problemas de assimetrias no nosso desenvolvimento.

Vai ser preciso mudar também mentalidades. O nosso problema também é cultural. Temos uma cultura de dependência do Estado e somos invejosos. Aceitamos melhor uma decisão tomada por pessoas que desconhecemos que aquelas tomadas ao nosso lado.

 
At quarta mar 10, 08:16:00 da tarde, Anonymous Miguel Coelho said...

Atenção as "Gaffes" o nome do norte nao é Porto e Norte é so Norte.

Porto e Norte e o nome da região de Turismo, e diga-se de passagem, o nome é Triste

 
At quarta mar 10, 10:38:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

João

O vosso norte acaba em Gondomar.

Portugal é uno e dindevisível.

Regionalização= Iberismo= Traição à pátria.

Traidores feiros com os castelhanos.

Viva portugal.

 
At quarta mar 10, 10:39:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

O vosso norte acaba em Gondomar.

Portugal é uno e indivisível.

Regionalização=Iberismo= Traição à pátria.

Traidores feitos com os castelhanos.

Viva portugal.

 
At quinta mar 11, 12:24:00 da manhã, Anonymous Paulo Rocha said...

Parece-me que este blog foi invadido pelos fascistas/salazaristas.

Que se seja nacionalista, está tudo bem. Já os termos 'traição à pátria' e outros têm conotações a fugir para o nazi-fascista e, isso , a história provou-o, é mau demais.

 
At quinta mar 11, 01:40:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

O jovem para grandes males, grandes remédios, os fogos combatem-se com água, ser patriota não é defeito, é virtude, e antes patriota, tu chama-lhe o que quiseres do que ser traidor à pátria que é o que tu e essa cambada de regionalistas do porto sois.

Traidores, e no futuro assim i-des ficar lembrados quando a bandalheira acabar e a história for escrita.

O vosso norte acaba em Gondomar.

Portugal é uno e indivisível.

Regionalização=Iberismo=Traição à pátria.

Traidores feitos com os castelhanos.

Viva portugal.

 
At quinta mar 11, 02:01:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Ò paulo rocha devias lavar a boca antes de falares do salazar, estás a ouvir meu menino, esse senhor foi diabolizado por estes politicos vendidos que hoje nos desgovernam, mas ele vai ficar para a história como um dos maiores governstes do pais, ñão foi por acaso que no concursoq que houve na RTP ele foi eleito o maior portugues de sempre.

Esse senhor de quem tu devias ter vergonha de falar deixou os cofres do banco de Portugal cheios de uro, e não levou nenhum com ele, não anadou a roubar o pais como esta corja que está no poder agora tem feito, por isso tem cuidado com o que dizes.

nunca te esqueças que foi graças a ele que Portugal ficou fra da 2ª guerra mundial, e lembra-te que se hoje cá andas podes-lhe dever a vida a ele, porque se entrasse-mos na guerra era bem possível apesar de ue não saber a tua idade que o teu pais ou o teu avo para lá fossem.

Em relação a regionalização, isso era o pior que se podia fazer ao pais, não se justifica de modo algum.

Cumpimentos,

 
At quinta mar 11, 03:26:00 da tarde, Blogger antonioj said...

Mas não se pode bloquear este senhor? Temos aqui pessoas claramente adversárias da regionalização (Templário é um exemplo), mas que se sabem exprimir e respeitar os outros. Ao contrário deste senhor que parece ter engolido uma cassete, ao melhor estilo clone comunista da velha guarda ou, no caso, acéfalo de extrema-direita

 
At sexta mar 12, 12:24:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Aos que me chamam salazaristas eu repondo chamando-lhe traidores.

antes patriota e nacionalista do que vendido e traidor à pátria.

mas pelos vistos quem quer trazer de novo a censura é você, visto que fala em bloquear a opinião das pessoas.



O vosso norte acaba em Gondomar.

Em Penafiel já fica o vale do Sousa.

Quanto mais chegar ao Minho e a Trás-os-Montes.

Para lá do Marão mandam os que lá estão.

Viva Portugal uno e indivisível.

Cumprimentos.

 
At sexta mar 12, 11:08:00 da manhã, Anonymous Miguel Coelho said...

Ate concordo que o Norte que se fala neste BLOG nao o norte do minhotos nem dos trasmontanos

Mas, devemos sempre respeitar as diferencas de opiniao e ajudar no esclarecimento.
O Norte nao é so Porto, nem o Porto consegue representar bem as regioes do Minho e de Tras-os-Montes

Espero, que de um forma clara, cada um possa dar a sua opiniao e contribuir na clarificação das opiniões e que no final se consiga chegar a um entendimento global

 
At sexta mar 12, 06:42:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

João

Apoiado amigo, se o mapa das 9 regiões já era mau para o pais, este seria a desgraça total, impensável.

Dar a estes fanáticos regionalistas do Porto que nuca mandaram em nada e já fazem este barulho e algazarra toda poder, senhores estes movidos por um ódio pérfido a Lisboa e a grande parte do pais que estes senhores do Porto pela boca dos seus heróis, nomeadamente pinto da costa designam de "Mouros" , dar poder a estes senhores seria desgraça e a destruição do pais.

O objectivo desta gente é pérfido, movidos pela politização do futebol querem destruir Portugal, para eles tudo é melhor a estar sob o domínio de Lisboa, até fazer parte de uma federação com sede em madrid, um dos seus “heróis", o senhor Meneses até já se assumiu como militante peninsular, o que traduzido dá iberista, e aliado a isso ainda defendeu o ensino do castelhano desde a primária em Portugal, de alguém que esteve casado com uma senhora de ascendência espanhola, penso que está tudo dito.

Outro dos “heróis” regionalistas é o Serrão, anda para ai sem fazer nada armado em bloguista e comentador de programas de televisão, esse senhor devia ter vergonha de andar a aparecer em programas da televisão pública e de ir a Lisboa grava-los como esse família família que anda a passar na RTP 1, depois daquilo que diz sob Lisboa no seu blog bússola, de uma bússola precisava ele para se orientar.

Para esta gente que nutre um ódio de morte por Lisboa tudo é melhor do que estar sob o dominio de lisboa, até passar a ser vassalos dos castelhanos, e esta personagem declaa isso mesmo no seu blog, ele quando a bandalheira acabar também vai ter problemas e julgá-lo por traição à pátria ainda é pouco.

O meu pais começa em Bragança, e acaba na ponta de sagres somos todos Portugueses, também não gosto de ouvir o pessoal de Lisboa falar mal do Porto, aí são os de Lisboa que levam nas orelhas e são criticados, e nada tenho contra as gentes do Porto, tenho apenas contra esta cambada de separatistas/regionalistas/traidores/iberistas que fazem afirmações pelas quais até parece que Lisboa não é Portugal, esquecendo-se estes senhores do Porto que Lisboa é capital de Portugal desde o séc. XIII, mais concretamente desde 1256 sendo elevada a capital do reino por d. Afonso III, 5º reino de Portugal, ou seja, não foi ontem nem na semana passada, nem há uma dezena de anos que meia dúzia de senhores decidiram que Lisboa seria a capital do pais, já foi há quase 800 anos.

Pela conversa destes fanáticos regionalistas do Porto parece que o Porto é que tem que passar a ser a capital de Portugal, o Porto nunca foi capital de nada nem nuca há-se ser mais do que capital do distrito do mesmo nome, e convêm lembrar que antes de Lisboa ser a capital do pais foi-o em primeira instancia Guimarães e depois Coimbra, nunca o Porto.

Eles querem matar Portugal e estão feitos com os castelhanos, por isso esta gente que nunca mandou em nada, nunca há-de nem pode vir a ter poder no futuro, entregar-lhes o domínio sobre o Minho e Trás-os-Montes seria dar-lhes uma massa critica que eles não tem e isso levaria o pais a desgraça.

E muitos destes regionalistas que gostam tanto de empregar a palavra note, norte esse que acaba em Gondomar como eu disse, no anterior referendo de 97 votaram contra porque eles querem poder à força toda, mas não pouco poder, não lhes chega apenas mandar no seu burgo, entenda-se porto e arredores, querem-se esticar que é para terem mais poder e lançar assim o pais na destruição.

 
At sexta mar 12, 06:44:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Esta gente não interessa ao pais.

Nós temos é que juntar forças a ver se decapitamos o abutre castelhano, apoiando os bascos, os catalães e os galegos que como nações históricas que são querem ser descolonizados equilibrando os poderes na península, isso sim é o que devemos tentar fazer, e os sinais que emanam de lá são disso mesmo, como este ultimo referendo feito na Catalunha dia 13 de Dezembro de 2009, em que 94,7% das pessoas votaram a favor da independência da Catalunha, Catalunha esta que nós encomenda cerca de 60 % daquilo que se diz que exportamos para aquilo a que chamam Espanha, esse pais fantasma, o restante vai para a Galiza, os castelhanos não nos compram nada, pelo contrário mandam-nos água poluída e radioactiva, e vem-nos como depositório dos excedentes comercias deles, ou seja, mandam para cá a murraça.


Era nisto que estes fanáticos regionalistas se deviam concentrar em vez de andaram para ai a tentar destruir e dividir o ultimo estado nação da Europa, para depois daqui a uns anos o entregaram de bandeja aos castelhanos.

È para este cenário que estes regionalistas querem conduzir o pais, uns conscientemente outros não, eu comparo-os, a uma criança de 3 anos que quer comer guloseimas, ou seja, a criança não quer saber que as guloseimas lhe virão a fazer mal aos dentes no futuro, quer é comer as guloseimas que puder no momento e quantas mais melhor, e ai é que alguém tem que lhe fazer ver que isso lhe vai fazer mal aos dentes no futuro, acontece o mesmo com estes senhores, pensam o momento mas não são capazes de pensar o futuro nem o pais.

O vosso norte acaba em Gondomar.

Em Penafiel já fica o vale do Sousa.

Quanto mais chegar ao Minho e a Trás-os-Montes.

Para lá do Marão mandam os que lá estão.

Viva Portugal uno e indivisível.

Viva Portugal.

Morte à Espanha.

Independência para a Catalunha, Pais Basco e Galiza.

Viva Portugal.

 
At sábado mar 13, 04:47:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Depois de meses sem passar pelo blogue, ele deixou de ter interesse, fui insultado por exprimir o meu ponto de vista, este espaço era ou é por assim dizer um diálogo entre três ou quatro pessoas e sem feedback exterior.... a vossa causa não é causa, não tem raízes, nunca mais de um ou dois comentários e, sempre dos mesmos, sempre os mesmos amens. Hoje, surpresa das surpresas alguém vos está pondo no sítio....lembram-se quando disseram que utilizava história da quarta classe para vos apodar de traidores? E agora?
Querem um conselho? Fechem a loja, metam a viola no saco! Andeiros dos tempos modernos.

 
At domingo mar 14, 03:07:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Ignorância minha, não me havia apercebido de que o blogue era feito por meia dúzia de miúdos ainda na faculdade ou com um desses canudos paridos da bandalheira que o ensino se tornou..... talvez formados em gestão não?
Enfim !

 
At segunda mar 22, 10:02:00 da tarde, Blogger Pedro said...

O blog não caiu em desgraça! EStá é muito bom!

Concordo e está muito bem explícita a questão das vantagens da Regionalização!

Por um Portugal mais justo, um Portugal com Regiões de Governação Autónomas!

Quem é de facto Patriota defende a Descentralização. Que é sinónima de Democracia mais Desenvolvimento, sem dúvida!

Parabens pelo blog.

 

Enviar um comentário

<< Home