quinta-feira, abril 01, 2010

MAI extingue Governos Civis

Rui Pereira, ministro da Administração Interna, anunciou ontem, ao final da tarde, a extinção dos Governos Civis, antes do final do Verão.

O ministro da Administração Interna, Rui Pereira, anunciou ao final da tarde de quarta-feira, dia 31 de Março, que os governos civis deverão ser extintos antes do próximo Verão.

O governante explicou que, esta decisão surge na sequência da reforma administrativa que está a ser implementada faseadamente, mas de forma consistente.

Recorde-se que a ainda governadora civil do distrito de Castelo Branco, Maria Alzira Serrasqueiro, em entrevista ao Reconquista, em Dezembro de 2009, já tinha também admitido esta hipótese, encarando-a com alguma naturalidade.

Na altura, explicou que “os actuais governadores civis podem ser os últimos a ocupar o cargo”, garantindo que nas reuniões com os seus pares, eles próprios assumiam fazer parte “da comissão liquidatária dos governos civis”.

Este é um tema que não é novo e há muito está em cima da mesa das discussões, com alguns partidos e estruturas sindicais a pedir o seu fim.

Rui Pereira reconhece que se apercebeu, no decorrer dos últimos anos, “do trabalho desenvolvido por estes organismos descentralizados do Governo, tendo acompanhado de forma muito próxima a actividade dos governadores”, acrescentando que “percebia-se muito bem o interesse destas instituições, enquanto não avançasse a regionalização, o que também está prestes a acontecer”.

Na tomada de posse dos governadores civis, após esta última eleição Legislativa, os 18 representantes distritais do Governo assumiram o compromisso de serem também eles responsáveis pela criação das regiões.

“Uma das nossas missões passava pelo acompanhamento de todo o trabalho necessário para a desconcentração dos serviços da administração pública e o acompanhamento de todas as actividades necessárias, para levar a efeito a passagem dos serviços de nível distrital, para serviços de nível regional”, refere Maria Alzira Serrasqueiro.

“A regionalização ainda não está implementada no verdadeiro sentido da palavra, mas já foram dados passos importantes para a sua concretização”, frisa a governadora.


Jornal Reconquista (Castelo Branco, Beira Interior)

31/03/2010

Etiquetas: ,

2 Opiniões

At quinta abr 01, 09:02:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Caros Regionalistas,
Caros Centralistas,
Caros Municipalistas,

Se foram dados passos importantes a favor da regionalização, é de confessar que até agora nada se tem visto de relevante ou decisivo.
A decisão de acabar com os Governos Civis, lamenta-se ter-se passado tanto tempo (muito mais que a atrasar a regionalização autonómica) inutilmente a sustentar o funcionamento de organismos públicos completamente inócuos, à semelhança da existência de ainda outros que teimam em prosseguir objectivos e actividades de que não se tem deslindado quanto à sua utilidade real.

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 
At quinta abr 01, 10:44:00 da tarde, Blogger hfrsantos said...

Boa noticia para os cofres dos contribuintes.
Agora falta reduzir numero de deputados, fuzionar freguesias ......

 

Enviar um comentário

<< Home