sexta-feira, agosto 20, 2010

Da Ribeira do Porto para as PlayStation de todo o mundo

VIDEOJOGOS  - Chama-se Seed Studios, é portuguesa e prepara-se para lançar um jogo para a PlayStation 3, depois de já ter trabalhado para a Nintendo

Na Seed Studios, quando o chefe chega toda a gente fecha apressadamente os "e-mails" e as tabelas de Excel e agarra-se aos videojogos. António Gonçalves, o director-geral da empresa portuense, faz questão que os colaboradores joguem. Faz parte do trabalho diário de pesquisa.

Em plena zona histórica da Ribeira do Porto está a nascer “Under Siege", o primeiro jogo feito por uma empresa portuguesa para a consola PlayStation 3, da Sony.

Fruto do trabalho desenvolvido, ao longo dos últimos dois anos e meio, por uma jovem equipa com cerca de 20 pessoas, "Under Siege" é um jogo de estratégia em tempo real vocacionado para o jogo em "multiplayer" através da Internet

Vai estar à venda a partir de Outubro na loja "online" PlayStation Network - uma espécie de iTunes em que os utilizadores podem descarregar directamente os jogos para a PlayStation.

Com os pés bem assentes na terra
Ganhar espaço na indústria global de videojogos, dominada por americanos e japoneses, não é tarefa fácil. A semente que deu origem à Seed Studios foi lançada em 2006 pela LT Studios, uma empresa nortenha que trabalha com desenho em 3D e vídeo.

Os três funcionários da nova divisão de Investigação e Desenvolvimento (R&D) já se conheciam dos tempos de faculdade. Nessa altura, tinham já desenvolvido projectos amadores na área dos videojogos, nos quais trabalhavam aos fins-de-semana e nas férias.

No início, "era importante manter os pés assentes no chão e dedicarmo-nos a projectos curtos e simples que pudessem ser terminados e rendibilizados rapidamente", explica António Gonçalves, director-geral da empresa.

Os primeiros projectos foram encomendados por uma empresa nacional, a Gamelnvest. "Sudoku For Kids" foi lançado para o PC e posteriormente adaptado para a Nintendo DS. Seguiram-se "Toy Shop" e "Aquatic Tales", também pequenos jogos direccionados para o público infanto-juvenil.

"Foram pequenos projectos que, além de uma facturação rápida, nos deram um ‘know-how' e um primeiro contacto com esta indústria", assinala o responsável.

O sucesso dos primeiros jogos deu-lhes coragem para ir bater à porta da Sony com uma proposta para um jogo de estratégia, o "Under Siege". "Sentimos que estávamos preparados para dar o passo", afirma António Gonçalves.
(...)

Aqui artigo completo
.

Etiquetas: