sábado, outubro 23, 2010

Decálogo do Localista

1. O localista sofre de graves problemas de miopia. Nunca consegue ver para além do seu próprio bairro.

2. Não há presbiopia fisiológica que atinja o localista. No seu bairro, consegue ver qualidades que não vê em qualquer outra parte.

3. O bairro do localista é sempre melhor que o bairro dos outros.

4. O localista não se sente membro da cidade ou da região. O mundo do localista é o seu bairro.

5. O localista nunca fala de regionalização.

6. Quando, eventualmente, fala de regionalização, o localista não estava a falar de regionalização.

7. O localista orgulha-se de ser provinciano.

8. O localista não se importa de ser mandado desde que os decisores estejam a mais de 250 quilómetros.

9. O localista não se acobarda. Nunca perde uma oportunidade para fazer eco da sua visão de mercearia acerca do mundo.

10. O localista tem um amigo que lhe vai contar o que está escrito neste post.

|Pedro Morgado "Avenida Central"|
.

4 Opiniões

At sábado out 23, 08:03:00 da tarde, Blogger templario said...

Mas este senhor está a referir-se a que país com essa do "localista"? Não é, certamente, a Portugal.

Cá para mim vibrou de entusiasmo com o seu conceito genuinamente idealista e metafísico...,surpreendeu-se com o rasgo que considerou genial, (inventor, criador e original).

E, pelos vistos, clama por aplausos!...

Coisa mais disparatada.... Não sabe mesmo do que está a escrever.

Então não é verdade que o interior está despovoado, que uma grande percentagem da nossa população imigrou para os grandes centros urbanos,para o litoral? As tais famosas assimetrias. Não é verdade que somos o povo da diáspora, deambulando por todo o planeta, que conhece mundo? Localista o povo português?

Portugal e o seu povo, forçado ou por vontade própria, desde o século XVI que sabe o que é a globalização, o buscar o lugar onde organize a sua vida, em Lisboa, no Porto, em Braga, em Guimarães. em Setúbal, no Algarve, em Paris, em Lyon, em Bruxelas, em Geneve, Toronto, Messachutts e New Jersy (USA), Caracas, Pretória, ex-colónias, Brasil, etc.etc., etc..

De que povo é que este senhor está a falar?

Localista?!

E assim, à falta de melhor, justifica a regionalização...

Desculpe lá, Vá dar banho ao cão!

 
At sábado out 23, 08:10:00 da tarde, Blogger templario said...

CORREÇÃO:
Onde se lê Massachutts
deve ler-se MASSACHUSSETTS

 
At sábado out 23, 08:42:00 da tarde, Blogger João Marques Ribeiro said...

Eu aplaudo. Excelente artigo.

E já estava a contar que o localista cá do blog (templario) tivesse exactamente esta reacção.

É óbvio que o Povo Português procura vencer na vida, e consegue-o, nomeadamente fora de Portugal. E é mais que óbvio que o faz, ontem como hoje, porque Portugal não oferece condições a todos para viver bem.

É este o País que o templario tanto elogia, que está organizado às mil maravilhas há tantos séculos, e que, como está assim, acha que nada se deve mexer, que não se deve aprender com os erros do passado, que o caminho é repeti-los, o imobilismo completo.

É também óbvio que a maioria dos que saem do nosso País, quando falam de Portugal e da regionalização, apoiam-no na sua maioria, porque sabem que ela marca a diferença nos Países onde vivem, que não são desorganizados como Portugal. E porque, acima de tudo, a nossa diáspora não está envenenada pela mentalidade que os anti-regionalistas impõem em Portugal, com problemas e medos que só eles criam. Um exemplo, entre muitíssimos, é o nosso habitual visitante, alcardoso.

A nossa diáspora não olha para a Regionalização com a mentalidade parola e tacanha que anti-regionalistas como o templario propalam aos sete ventos.

E é essa a diferença entre os Países Desenvolvidos e Portugal.

 
At domingo out 24, 01:45:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Templario
100% consigo e, sou da diaspora e bem informado...
A azafama para criar mais tachos continua sob a capa do regionalismo....!

 

Enviar um comentário

<< Home