quinta-feira, novembro 25, 2010

Porto de Leixões baixa taxas para a exportação de mercadorias

Vai ser mais barato exportar a partir de Leixões em 2011. O maior porto nacional de exportação decidiu reduzir todas as taxas para embarque de mercadorias num valor médio de 4% e manter os actuais valores das taxas de desembarque.

No dia seguinte à tomada de posição da Associação Comercial do Porto e da sua Comunidade Portuária contra a intenção governamental de criar uma entidade única para gerir os portos portugueses, a Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL) anuncia que, no próximo ano, as exportações nacionais feitas a partir daqui serão mais económicas.

A APDL decidiu reduzir todas as taxas para embarque de mercadorias em Leixões num valor médio de 4% e manter os actuais valores das taxas de desembarque de mercadorias.

“Numa medida que pretende contrariar os efeitos da crise económica e reforçar a competitividade do Porto de Leixões e das empresas exportadoras a operar em Portugal, as taxas de carga e descarga de todas as categorias de mercadorias não vão sofrer o aumento da inflação, sofrendo antes uma descida significativa de preço em muitas delas”, enfatiza a APDL; em comunicado.

O embarque de granéis, veículos, contentores e carga geral no porto de Leixões vai ser 4% mais barato, em média, durante o ano de 2011. Mas no caso dos granéis agro-alimentares, a descida de valores das taxas de carga e descarga chega mesmo aos 50%.

Pela leitura das novas tabelas de preços conclui-se que o transportador marítimo pagará mais taxas ao porto, enquanto os importadores de granéis agro-alimentares verão os seus custos reduzidos a metade.

“Com esta alteração do seu regulamento de tarifas, o porto de Leixões pretende aumentar a sua competitividade no segmento de granéis agro-alimentares ao passar ao agente que toma a decisão sobre a cadeia logística a seleccionar – o cliente – o maior benefício desta alteração de custos”, remata a administração desta autoridade portuária.

|Jornal Negócios|
.

Etiquetas: ,