quinta-feira, dezembro 23, 2010

Ciclos Eleitorais - Resquícios do passado que devem ser apagados

Alterem-se os ciclos eleitorais. Nós só mantivemos a organização dos distritos em rigor por causa do sistema político, nos Açores e na Madeira deixou de haver

Com a população cada vez mais concentrada no litoral, nos círculos do interior, argumenta Rui Moreira, “estamos quase à beira dos ciclos uninominais”. “É impensável reduzir o número de deputados, se não se alterarem os cirulos eleitorais, porque assim Portalegre, por exemplo, passa a eleger um”, argumenta.

Carlos Lage apoia : “A eliminação do distrito eleitoral no sentido de unidade base de eleição dos deputados é algo que se impõe, porque é um resquício da ditadura”.

Nas palavras do líder da CCDR-N, os ciclos eleitorais “criam dificuldades” ao bom funcionamento do sistema eleitoral, que necessita de uma solução em que seja preservado o princípio da proporcionalidade.

|GP|
.

Etiquetas:

4 Opiniões

At quinta dez 23, 12:30:00 da tarde, Blogger João Marques Ribeiro said...

Infelizmente, esta é mais uma daquelas posições à moda de algumas "elites" do Porto, que desconhecem completamente a realidade do Interior do País.
Rui Moreira e Carlos Lage representam um "norte" profundamente centralista e centrado no Porto, e querem tirar poder ao Interior, esquecê-lo pura e simplesmente, e daí esta proposta para substituir os deputados eleitos por Vila Real ou Bragança pelos deputados "do norte" e os da Guarda e Castelo Branco por deputados "do centro".

Ora, com esta noção de "norte" que estas duas personalidades têm, o que aconteceria é que, tendo Trás-os-Montes o pouquíssimo peso demográfico e político que tem, os seus distritos deixariam de estar representados na Assembleia da República, e passariam a estar nas últimas prioridades dos "deputados nortenhos". Deixaríamos de ver as personalidades transmontanas e da Beira Interior no parlamento, e passaríamos a ver os "nortenhos" que, com esta mentalidade, são todos do litoral.

Ora isto, para os transmontanos e beirões do interior, só traz desvantagens.

Enquanto Rui Moreira não mudar de atitude, a receptividade que terá fora do Porto será pouca ou nula.
Só é pena que Carlos Lage lhe siga os passos. Só é pena que a CCDR-N esteja a ser gerida com esta mentalidade.

Cumprimentos,

 
At quinta dez 23, 05:12:00 da tarde, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Caro João Marques Ribeiro,

Desta feita não estou de acordo consigo. Penso que a preocupação demonstrada por estes senhores faz todo sentido. Senão vejamos a Lei Eleitoral para a Assembleia da República:
(...)
Artigo 13.º
Número e distribuição de deputados

1. O número total de deputados é de 230.

2. O número total de deputados pelos círculos eleitorais do território nacional é de 226, distribuídos proporcionalmente ao número de eleitores de cada círculo, segundo o método da média mais alta de Hondt, de harmonia com o critério fixado no artigo 16º.

3. A cada um dos círculos eleitorais referidos no nº4 do artigo anterior correspondem dois deputados.
(...)

Face ao contínuo despovoamento do interior e se nada for feito para inverter esta situação, fica claro que, o actual sistema eleitoral precisa mesmo de ser reformulado.

Cumprimentos,

 
At quinta dez 23, 06:21:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Resquício da ditadura?
Então e as tripas à moda do Porto?
E o cozido à portuguesa?
E os rojões?
Assim não vamos a lado nenhum...
Vejam o que têm feito ao Norte, depois da ditadura se finar.
A ditadura?
Consultemos circulos no tempo da ditadura...
Não digam coisas destas... só se enterram.. e convosco, o futuro do pobre país...

 
At quinta dez 23, 10:25:00 da tarde, Blogger João Marques Ribeiro said...

Caro António Almeida Felizes:

Também partilho das suas preocupações. Sei que a situação actual não é boa, que o modelo actual é prejudicial à representatividade, até pela situação em que muitos votos do Interior que não servem para eleger nenhum deputado.
Mas também sei que a representatividade regional do Interior se perderia se os círculos eleitorais fossem "norte" e "centro".
Assim, entre uma situação de círculos eleitorais distritais e círculos eleitorais "norte" e "centro", prefiro que os deputados sejam eleitos pelo seu distrito que por uma "região" que não faz sentido.

O ideal será ter deputados eleitos por Trás-os-Montes, pela Beira Interior. Enquanto não for possível deixem estar os círculos eleitorais como estão.

Votos de Bom Natal,

 

Enviar um comentário

<< Home