domingo, dezembro 12, 2010

Diferença entre ter regiões ou centralismo !

Diferença no rendimento 'per capita' entre Norte e Galiza aumenta 14%


A diferença no rendimento «per capita» entre o Norte de Portugal e a Galiza aumentou quase 14% entre 2000 e 2007, conclui o novo Anuário Estatístico da Euro-Região Norte/Galiza.

O documento é apresentado na segunda-feira em Santiago de Compostela.

"A diferença entre o rendimento 'per capita' das duas regiões agravou-se: de 26,6% (em 2000) para 40,3% (em 2007)", é uma das conclusões do anuário, a que a Lusa teve acesso.

O anuário é promovido pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), através do seu Observatório das Dinâmicas Regionais, e pelo Instituto Galego de Estatística da Xunta da Galicia.

O documento destaca que as economias das duas regiões são mais parecidas do ponto de vista da distribuição sectorial do emprego, mostrando que as mesmas se "terciarizaram" ao terem atingido, em 2009, 51,4% na Região do Norte de Portugal e 65,1% na Galiza.

A região Norte e a Galiza apresentam também semelhanças ao nível do desemprego (11% e 12,6%, respetivamente) mas a origem destes valores foi "muito diferente".

Se na Galiza a taxa de desemprego "se manteve quase inalterada" desde 2002 (então com 12,7%), no Norte de Portugal assistiu-se, durante o mesmo período, ao agravamento de quatro pontos percentuais (6,8% em 2002).

Simultaneamente, a taxa de emprego naquela região espanhola subia 4,2% ao passo que em Norte se assistiu a um decréscimo de 2,2%.

A CCDR-N explica que muitos destes valores se justificam pelos "diferentes dinamismos da actividade económica nos dois lados da fronteira".

"Do lado português, e apesar de se partir de um nível mais baixo, assistiu-se a uma estagnação do rendimento 'per capita', enquanto do lado espanhol esse rendimento foi aumentando de forma sustentada", sustenta a comissão.

Outros dados do anuário apontam para mais semelhanças nas duas regiões, nomeadamente ao nível da saúde e quanto ao número de médicos por mil habitantes (3,3 para o Norte e 4,3 para a Galiza em 2007) ou camas por mil habitantes (3,5 para o Norte e 3,6 para a Galiza em 2007).

Também a taxa de crescimento populacional efectivo mostra valores semelhantes, com 0,0% para Norte e 0,4% para a Galiza em 2008.

As duas regiões divergem no que à taxa de actividade diz respeito (62,7% no Norte e 55,1% na Galiza em 2008) ou à variação do PIB (-0,1% para o Norte e 1,7% para a Galiza em 2008).

A nova edição Anuário Estatístico da Euro-Região Norte/Galiza (inexistente desde 2003) conta com dados disponíveis até ao ano 2010 e teve o apoio financeiro do Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha - Portugal.

O documento procura actualizar a série de dados que vinha sendo divulgada em edições anteriores e que permite caracterizar as duas regiões, em termos territoriais, demográficos, económicos e sociais.

Na sistematização da informação presidiu, sobretudo, o critério da comparabilidade dos dados, fornecidos pelos sistemas estatísticos dos dois lados da fronteira, de forma a permitir a leitura conjunta das duas regiões e, em consequência, o aprofundamento do estudo das relações transfronteiriças.

|JN|
.

Etiquetas: