terça-feira, dezembro 28, 2010

Freguesias: saber distinguir as realidades (parte II)

(continuação)

É preciso também perceber que a noção de freguesia é muito diferente de região para região. Em Entre-Douro e Minho, com o povoamento disperso, uma freguesia não é mais que uma associação de lugares com identidade comum. Na Beira Litoral, na Estremadura e Ribatejo e no Algarve com o povoamento misto, uma freguesia é um conjunto de povoados organizados em torno de um núcleo mais importante. Em Trás-os-Montes, Beira Interior e Alentejo, com povoamento muito concentrado, as freguesias são constituídas basicamente por uma aldeia ou vila central, estando por vezes outras aldeias (as chamadas anexas) dependentes destas.

Todas estas realidades devem ser consideradas, e tidas em conta, coisa que normalmente não se faz.

Nos concelhos, não vejo qualquer vantagem em mexer. Só contribuiria para se criar problemas (porque as populações iriam aceitar muito mal estas mudanças, basta ver o que aconteceu da última vez que se tentou mudar o mapa, processo que levou à revolta popular da Janeirinha no séc. XIX, e as paixões que tudo isto continua a suscitar no século XXI, com os casos de Canas de Senhorim, Freamunde, Trofa ou Vizela.

Para além disso, o nosso mapa de municípios está bastante bem desenhado, e basta olharmos para o que acontece nos outros países europeus para concluir que o mito que em Portugal existem municípios a mais não passa de um fait-diver.

João Pedro Ribeiro

Etiquetas:

3 Opiniões

At terça dez 28, 10:39:00 da tarde, Blogger al cardoso said...

Concordo plenamente consigo mas provavelmente os burocratas da capital que so conhecem a realidade do pais por estatisticas e que nao. Esperemos que o bom senco impere pelo lado do PSD, porque dos iberistas do PS ja pouco espero!

Um abraco regionalista do D'Algodres e um excelente ano de 2011, sao os meus desejos para si e todos os leitores.

 
At terça dez 28, 11:49:00 da tarde, Blogger João Marques Ribeiro said...

Caro al cardoso:

Muito obrigado pelos votos. Desejo-lhe também umas boas entradas e um óptimo ano de 2011.

 
At quarta dez 29, 06:23:00 da tarde, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Como regra, qualquer acerto administrativo a levar a cabo no futuro deveria ser precedido e realizado pelas regiões administrativas.

 

Enviar um comentário

<< Home