domingo, dezembro 26, 2010

Regionalização - assim não vamos lá !

Experiência de regionalização agora podia "abalar confiança" dos mercados externos - Passos Coelho

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, defendeu hoje no Algarve que seria “desadequado” implementar nesta altura uma experiência de regionalização em Portugal, o que podia "abalar a confiança" dos mercados externos.

Segundo Passos Coelho, a introdução do modelo de regionalização num momento em que o país se esforça para ordenar as contas poderia ser interpretado pelo exterior como uma falha na capacidade para “disciplinar a despesa pública”.

O líder do principal partido da oposição falava hoje de manhã num encontro com autarcas e representantes do turismo na Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), em Albufeira.

O debate em torno da regionalização surgiu na sequência de uma questão colocada ao líder do PSD por uma das pessoas na plateia, tendo Passos Coelho relembrado que esse processo só poderá avançar com uma revisão constitucional.

Passos Coelho afirmou ainda que, ao contrário do que a maioria das pessoas possam pensar, a criação de regiões administrativas “não traz mais classe política, mais despesa pública e mais do mal que as pessoas associam ao Estado”.

“A única maneira de quebrar este ceticismo é mostrar que o processo pode ser feito de outra maneira”, afirmou, sublinhando que a implementação do modelo em apenas uma região piloto poderia ajudar a fazer “a disseminação pelo País”.

|DiarioOnline|
.

Etiquetas:

4 Opiniões

At domingo dez 26, 01:00:00 da tarde, Blogger Zé Lourenço said...

É sempre a mesma... coisa. Será que o poder ( ou o cheiro ) assusta? Os Partidos na oposição têm um discurso, no poder outro. Todos sabemos que o País necessita de reformas estruturais. Só falta a coragem de quem pode...

 
At domingo dez 26, 04:20:00 da tarde, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Caro Zé Lourenço,

Basta olharmos para a Grécia que por estar numa situação financeira insustentável optou, com o beneplácito do FMI e da UE, por proceder a uma ampla reforma do seu sistema politico/administrativo, incluindo uma profunda descentralização e a criação de regiões administrativas por forma a emagrecer o Estado Central e desta maneira reduzir a despesa pública.

Cumprimentos e continuação de Boas Festas,

Qui Dez 23, 07:58:00 PM

 
At segunda dez 27, 04:32:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

AAF
e será que não se vão criar mais estadinhos dependentes de um já demasiado gordo estado?
Abraço e bom ano novo.

 
At quarta dez 29, 06:58:00 da tarde, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Caro Anónimo,

Pessoalmente, sou defensor de um modelo de regionalização assente num aparelho jurídico que seja muito rigoroso na imposição de uma efectiva diminuição, quer da despesa pública, quer dos cargos políticos.

Cumprimentos,

 

Enviar um comentário

<< Home