terça-feira, janeiro 04, 2011

Que descentralização?

A confusão gerada pela utilização abusiva da palavra "descentralização" é deveras deprimente... como se descentralizar fosse, apenas, uma simples delegação ou trespasse de competências. E pretender que esse acto seja factor de união é, ainda, mais caricato, sobretudo quando apresentado como remédio para a divisão que a "maldita regionalização" iria causar ao país.

Por isso, os defensores deste modelo de descentralização, inconsequente e assente numa pseudo «nova organização do território» , verdadeiramente o que pretendem, é ver a regionalização, enterrada, definitivamente.

Uma atitude incoerente e que demonstra bem que temem, afinal, e tão só, a própria descentralização!... por isso criaram entidades subservientes ao poder central, sem autonomia administrativa e financeira real, e principalmente, sem legitimidade política de intervenção.

Resta-nos esperar que os partidos tenham coragem política suficiente e retomem esta discussão, sem tabus.
.

Etiquetas:

3 Opiniões

At terça jan 04, 04:30:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Maravilha... só falta começar a colocar "bombas" na cadeira dos centralistas... Em Portugal, 2011, ainda se pensa que regionalizando, pode-se viver melhor. Quem? Os novos boys da regionalização, certamente... mas o "povão" coitado... lá vai o resto do abono de família e mais 3 ou 4% de descontados na pensão de reforma...
Tenham juizo que já têm idade para isso..

 
At terça jan 04, 04:43:00 da tarde, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Caro Anónimo,

Também nós, os verdadeiros regionalistas, queremos a instituição da regionalização para reduzir a despesa pública. Para ter uma ideia daquilo que falamos, o Estado Central em Portugal é responsável por mais de 85% da despesa pública nacional.

Cumprimentos,

 
At quinta jan 06, 07:00:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Pois...
Mas então é preciso dizer, quantificar, contabilizar, quanto desses 85% vai reduzir o Estado Central, para que a Regionalização gaste, no máximo, o equivalente...
Caso contrário é Ruandizar Portugal...

 

Enviar um comentário

<< Home