Fusão de Municípios ...

A Regionalização é uma reforma administrativa estruturante e irreversível. Não se compadece, por isso, com medidas conjunturais e atabalhoadas.

[…] (Há) os mais pragmáticos, que preferem ter menos mal "já", do que tudo e bem, mas a prazo incerto. Compreendo, mas discordo.

A fusão de Municípios nunca poderia ser a solução para a Regionalização porque:

1º) Não resolve a problemática regional;
2º) Prejudica a problemática local!

A fusão de Municípios no território continental pode até ser uma questão a equacionar, talvez mesmo nalguns casos com premência, mas é apenas e só um problema do Poder Local (tal como, aliás, a necessária redefinição do papel das Juntas de Freguesia...). Mas não se pode substituir, de forma alguma, à "instituição em concreto" das Regiões Administrativas.

[…] nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto (mas, por enquanto, só aí) talvez comece a ser mais importante a existência do poder regional, do que a dos próprios poderes municipais (que adquirem a sua máxima relevância e justificação nos meios predominantemente rurais)!
Daí que uma hipotética fusão de todos os Municípios integrantes dessas duas Regiões pudesse trazer à Administração Pública, apesar dos prejuízos eventualmente causados às questões de cariz mais local, um balanço global positivo!

Mas sabe que, ironia das ironias, quem mais se oporia a uma tal medida desesperada, como protesto derradeiro contra o adiamento da Regionalização, seriam não o Governo Central (aposto), mas os próprios Concelhos em questão! Que obviamente ao extinguirem-se perderiam os seus poderzinhos paroquiais, com que se auto-comprazem actualmente, em desprezo pelos interesses superiores das suas aglomerações metropolitanas! E por isso é que nunca se conseguirá implementar a Regionalização à custa de "associações (fusões) de municípios"...

|A.Neves Castanho|
.

Comentários

gu disse…
... inteiramente de acordo; só faltou acrescentar o ponto 3º- atrasa a regionalização; é esta a estratégia do centralão que é necessário denunciar de frente, sem rodeios; quem tem acesso aos media mais potentes , e é a favor, tem obrigação de o fazer.
Anónimo disse…
http://recreioinedito.blogspot.com/2010/12/organizacao-de-lisboa-e-porto-enquanto.html
Caro Anónimo,

Tomamos a liberdade de publicar no blog (com o respectivo link) esta interessante análise sobre as cidades do Porto e Lisboa e respectivas Áreas Metropolitanas.

Cumprimentos,
Miguel Rocha disse…
Concerteza, tive até muito gosto que o fizessem. Fui eu próprio (autor do artigo) que postei aqui o link.

Miguel Rocha (Anónimo de 02 de Julho)