sexta-feira, julho 08, 2011

Beira Interior - Provincia de Salamanca: cooperação em crescendo


Projeto apresentado em Vilar Formoso pretende ter estudo concluído até ao final do ano


Centro de Análise e Prospetiva Territorial para esbater fronteiras


A Associação de Municípios da Cova da Beira e a Diputación de Salamanca apresentaram na quarta-feira da semana passada a criação de um Centro de Análise e Prospetiva Territorial que visa a elaboração de projetos de cooperação entre os dois lados da fronteira em vários setores. O CAPT surge no âmbito do projeto de cooperação transfronteiriço “VIP BIN – SAL: Valorizar, Inovar e Potenciar a Beira Interior Norte – Província de Salamanca”.

O presidente da AMCB frisa que se trata de um projeto «extremamente ambicioso, multifacetado e com várias ramificações» criado com o objetivo de «desenvolver a Raia e as zonas de fronteira. Queremos que não haja fronteiras nem limites», salientou. António Ruas realça que se pretende «uma união mais forte e arranjar formas de desenvolvimento sustentado para um território desertificado e com carência de pessoas». No seminário onde foi apresentada a criação do CAPT participaram autarcas da região, representantes de associações de desenvolvimento, estabelecimentos de ensino, técnicos e agentes económicos dos dois lados da fronteira.


O também presidente da Câmara de Pinhel indica que foi criado um grupo de trabalho que «irá estar a trabalhar até ao final do ano para depois apresentar as linhas mestras a desenvolver», bem como projetos que serão candidatados a fundos comunitários pelo “VIP BIN – SAL” com o intuito de «desenvolver o quadro de cooperação transfronteiriça» nos dois países. O autarca considera que o território abrangido tem «potencialidades para se desenvolver» que agora irão ser estudadas pelos técnicos. Trata-se de um projeto «muito abrangente e não queremos que seja apenas mais um estudo, queremos que tenha aplicação prática no terreno com a apresentação de linhas concretas para o desenvolvimento», sustenta. As propostas a apresentar deverão abranger diversos setores como a agricultura, indústria, construção civil e transportes, saúde e educação.


António Ruas disse que já existem algumas ideias que poderão avançar, especialmente no que concerne a cooperação «em matéria de proteção civil, agricultura, proteção do meio ambiente e otimizações energéticas». Neste sentido, «há vários projetos que estão a ser estudados», salientando que as entidades promotoras do CAPT querem que exista uma «interligação muito forte entre Portugal e Espanha». Do mesmo modo, as iniciativas que serão candidatadas a fundos comunitários devem procurar «o desenvolvimento e a criação de postos de trabalho», para a fixação de pessoas no território. «Queremos soluções urgentes e rápidas para que as populações deste território se fixem», reforça o presidente da AMCB.


in O Interior (Guarda, Beira Interior), 07/07/2011


Etiquetas: , , , ,

1 Opiniões

At sexta jul 08, 06:19:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Que bela abordagem. Interessante, cuidada e revelador de um espírito sereno, empreendedor e atento.

 

Enviar um comentário

<< Home