domingo, novembro 06, 2011

Plano para a Coesão Territorial

Resolução da Assembleia da República n.º 129/2011
Recomenda ao Governo que crie e dinamize um Plano Nacional para Coesão Territorial no quadro de uma nova estratégia nacional
A Assembleia da República resolve, nos termos do n.º 5 do artigo 166.º da Constituição da República, recomendar ao Governo que:
1 — Elabore e implemente um Plano Nacional para a Coesão Territorial (PNCT), que, especificando metas, acções, entidades responsáveis e calendário de execução, promova a coesão territorial do País através de uma novaestratégia assente no desenvolvimento e geração de riqueza e emprego no interior do País através da potenciação,valorização e fixação de valor dos recursos próprios (naturais, humanos, económicos, sociais e culturais,…) de cada espaço do território nacional.
2 — Proceda à monitorização e avaliação periódica da coesão territorial do País e do impacto na mesma das políticas, programas e grandes projectos públicos, designadamente através da elaboração de indicadores das assimetrias regionais e de um relatório do estado da coesão territorial e da execução do PNCT, a ser apresentado e discutido bianualmente na Assembleia da República.
3 — Assegure a transversalidade e integração do princípio da coesão territorial na concepção e execução daspolíticas públicas — em particular naquelas que mais eficazmente podem combater as assimetrias regionais e a desertificação e valorizar o território, como sejam as políticas de ambiente, agricultura, turismo, florestas, emprego, empreendedorismo, educação, cultura, investigação científica e inovação, saúde, desenvolvimento regional, obras públicas e de ordenamento do território — e na programação e execução dos fundos estruturais.
4 — Assuma a coesão territorial como princípio e objectivo essencial da reorganização administrativa já iniciadapelo XIX Governo, em particular no âmbito da reforma do poder local e da administração desconcentrada do Estado.
5 — Assegure a coordenação interministerial na promoção da coesão territorial, contribuindo para uma actuaçãoconcertada, dinâmica e eficaz do Governo e Administração na matéria.
Aprovada em 21 de Setembro de 2011.
A Presidente da Assembleia da República, Maria da Assunção A. Esteves.
|@ASS|

Etiquetas: ,

3 Opiniões

At domingo nov 06, 10:54:00 da tarde, Blogger Pedro said...

É só uma recomendação? O país precisa mais do que uma recomendação há muitos anos. É preciso é executar os pontos recomendados! P'ra ontem.

 
At segunda nov 07, 01:08:00 da manhã, Blogger G said...

'Nova estratégia nacional'? É como os 'novos paradigmas'. Sinceramente, não queria ter esta atitude de velho rezingão, queria era ver o país a avançar, mas não é com estas 'novas medidas' que cada governo inventa que vamos lá. Sinceramente.

Poder para as regiões, já!

 
At quarta nov 09, 11:58:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Já era muito bom se as Leis saídas da Assembleia da República fossem mais claras, de aplicação universal, objectivas e geradoras de equidade entre quem manda e é mandado, para que o funcionamento dos Tribunais se tornasse mais eficaz, depois de se limpar a magistratura dos seus penachos medievais.
Agora, mais recomendações para que?
Para ficarem encostadas a ganhar pó que nem sequer é de civilização.

 

Enviar um comentário

<< Home