sexta-feira, dezembro 23, 2011

Poder Local - os maus exemplos (2)

Bragança: Uma hora para decidir quem paga o almoço de Natal da Assembleia Municipal.


Dois votos a favor, um voto contra e 82 abstenções.

Os almoços não são de borla, já se sabe, mas levar quase uma hora para decidir quem paga o almoço de Natal da Assembleia Municipal é quase histórico. Foi o que aconteceu na última sessão.

O deputado do CDS, Guedes de Almeida, não gostou do facto de o convite ter partido do Executivo Municipal. Vai daí, propôs um requerimento aconselhando o Executivo liderado por Jorge Nunes a não pagar a conta, imputando-a a cada um dos 60 membros da AM inscritos para o almoço.

E como tantas vezes acontece nestas sessões, muitos deputados terão votado sem saber bem o quê, pois a proposta foi aprovada com dois votos a favor, um voto contra e 82 abstenções.

Apesar de os requerimentos não poderem ser discutidos, a verdade é que se gerou um sururu na sala, com vários dos presentes a terem dificuldade em aceitar os 20 euros previstos. Ainda houve quem apresentasse um segundo requerimento para anular o primeiro, que tinha sido aprovado, recorde-se, em votação do plenário.

A Mesa não o aceitou e quem foi (não todos os que estavam inscritos) teve de pagar 20 euros. Pelo meio, ainda se discutiu se o dinheiro que a Câmara previa gastar (cerca de 1400 euros) deveria ser empregue num almoço solidário, proposta rejeitada por maioria. E lá se gastou quase uma hora da sessão.

@Jornal Nordeste
.

Etiquetas:

3 Opiniões

At sexta dez 23, 11:05:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Assim anda o poder local...e depois não querem a reforma administrativa. Será que isto será Democracia representativa?

 
At sexta dez 23, 03:20:00 da tarde, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Caro Anónimo,

Infelizmente, a proposta em cima da mesa para a Reforma Administrativa tem, muito pouco, a ver com isto.

Cumprimentos,

 
At quarta dez 28, 08:53:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

As democracias têem os dias contados tal como as conhecemos! Não é por acaso que a Grecia e a Italia já entregaram a gestão do estado a contabilistas....! Tão pouco é novidade, aconteceu aqui em 28 - 5 - 1926. Preparem-se. Nem esse tal almoço tem razão de ser.

Cêpo

 

Enviar um comentário

<< Home