domingo, março 04, 2012

Souto Moura enterra central de Foz Tua em bunker no monte

Barragem vai ter casa das máquinas dissimulada no interior do monte para reduzir impacto visual da central na zona Património Mundial da Humanidade.

O projeto de Souto Moura para a barragem de Foz Tua prevê o corte do monte para construir um edifício técnico que depois será tapado com rocha e terra, preservando ao máximo a paisagem do vale. É uma solução inovadora que esconde por baixo do solo as zonas técnicas e sociais da barragem, apenas deixando à superfície as peças transformadoras.

A EDP confia que o novo projeto irá agradar à UNESCO, não temendo, por isso, a desclassificação do Alto Douro vinhateiro como Património Mundial da Humanidade. Para minimizar o impacto visual e integrar a obra na sua envolvente natural, Souto Moura desenhou uma solução parecida com a do Estádio Axa, em Braga, também da sua autoria.

Será feito um corte de perto de 90 graus no monte para acolher o edifício de aproveitamento hidroelétrico e, depois, a construção será tapada com pedra e solo e serão plantadas oliveiras, mantendo-se, assim, o corte original do monte e a harmonia visual do vale.

"O edifico está lá, tem é uma arrumação diferente do costume", explicou, ontem, no Porto, o autor do projeto."Está dissimulado num bunker que minimiza o impacto do betão", acrescentou o vencedor do Pritzker 2011 - a mais importante distinção mundial de arquitetura.

O presidente da EDP, António Mexia, mostrou-se satisfeito com "este exercício, unanimemente reconhecido como de enorme qualidade", que "transformou uma coisa claramente intrusiva em qualquer coisa que está totalmente inclusiva". A obra deverá concluir-se em 2015.

Recorde-se que, em outubro passado, a empresa tinha convidado Souto Moura para minimizar os impactos da barragem de Foz Tua - inserida em parte na zona Património Mundial - depois de técnicos da UNESCO terem ameaçado com uma desclassificação.

A experiência terá sido tão do agrado da EDP que todas as futuras casas de máquinas também serão encomendadas a vencedores do Pritzker, anunciou Mexia.

A solução caiu bem junto de alguns autarcas do Tua presentes na apresentação. "Prova que quando os desafios são grandes, mas a qualidade também é superior se conseguem excelentes resultados", disse Artur Cascarejo, presidente da Câmara Municipal de Alijó. José Silvano, ex-edil de Mirandela, gostou da solução e espera que se vá mais além, para "conseguir também integrar o paredão".

Tiago Alves in JN,
.

Etiquetas:

6 Opiniões

At domingo mar 04, 03:21:00 da tarde, Anonymous claudio said...

isto ta tudo doido.... presidentes da camara daquele regiao a dizer sim a este crime???? e as SUAS populacoes, que vao ficar sem comboios e com cada vez menos gentes?????

ja para nao falar que enterrar vai custar MUITO, mas MUITO mais do que custa actualmente esta porcaria..........

tenho fé, que as mesmas boas almas que pararam a de foz coa, tambem parem a de foz tua. lembro que a edp escondeu saber da existencia das figuras rupestres para seu proprio proveito!!!!!!!!!!

se isto tudo nao é crime, entao estamos todos condenados como sociedade.....

 
At domingo mar 04, 06:09:00 da tarde, Anonymous Paulo Rocha said...

Alguns autarcas da região seduzidos, por um lado, pelos alguns euros das contrapartidas negociadas com a EDP e, por outro lado, com a 'prosperidade' de curto prazo trazida pelas necessidades de consumo das centenas de pessoas que trabalham na construção destas estruturas, pensam (mal) que isto será suficiente para lhes garantirem as próximas eleições mesmo que isto no medio/longo prazo tenha um impacte, fortemente negativo, nas economias locais.

 
At domingo mar 04, 06:55:00 da tarde, Anonymous claudio said...

paulo. obrigado! obviamente que esta tudo corrupto: tem que estar! nao foi ha pouco tempo denunciado que a edp ia dar x milhoes para todas as camaras menos miranda do douro, que passado pouco tempo, a edp tambem a silenciou e lhe deu uns trocos... e agora estas camaras nada vao fazer ou muito pouco, ja que pelos vistos, agora apos 3 anos pode se saltar para a camara do lado, por isso esta tudo no mesmo saco!

os politicos TODOS sao corruptos e estao envolvidos na malha da corrupcao, a partir do momento que, podem ate nao roubar, mas sujeitam se a lavagens de dinheiro por parte de grandes empresas capitais ou o facto de nao denunciarem corrupcao!

mas claro que preferem ser silenciados (€) ou nao denunciar, porque assim ao menos tem TACHO. TACHO, e nao emprego/funcoes publicas/politicas!

engane-se quem pense estamos em democracia, quando ha miguel relvas e socrates e muitos outros obviamente a fazerem do seu sistema uma ditadura!

 
At domingo mar 04, 07:01:00 da tarde, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Objetivamente, os presidentes de Câmara da regiões afetadas trocaram uns pequenos ganhos no curto prazo por prejuízos irreversíveis para o futuro.

 
At sexta mar 09, 12:11:00 da tarde, Blogger A. Castanho said...

E prejuízos no Futuro significa que, por maiores que fossem os "benefícios" de curto prazo, quanto mais anos passaram mais se irão acrescentando, sem cessar, os prejuízoa a prazo!


Ou seja, para que a geração atual possa ter mais uns "trocos" durante meia dúzia de anos (se tanto...), condenam-se VÁRIAS GERAÇÕES FUTURAS - sim, que o prazo de vida útil de uma Barragem são décadas e, pior ainda, o prazo de recuperação natural de uma Paisagem assim brutalmente agredida serão SÉCULOS! - a uma perda patrimonial que vale MILHÕES!


Grande "negócio", ó senhores autarcas de "larga visão"...

 
At terça set 11, 03:24:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Maior parte das críticas é feita por pessoas que nem são do grande Douro! Claro que há um impacto ambiental, mas estão a trabalhar numa forma de diminuir esse impacto! Infelizmente o Douro não vive do titulo de Património Mundial, cada vez mais é uma região esquecida, sem urgências, sem escolas, sem tribunais, sem trabalho, por curto prazo que seja, é sempre um ganho para esta região, são postos de trabalho, são rendas de casas anteriormente desabitadas, é uma enchente nos cafés e restaurantes da região anteriormente vazios, neste douro cada vez mais condenado á desertificação a barragem é uma mais-valia! Não se pode ter tudo! Reconheço o impacto ambiental, mas se me perguntarem se quero que continue tudo como antes e ver Douro cada vez mais pobre, com os filhos da terra vendo-se obrigados a emigrar, é obvio que não! Tudo tem prós e contras, mas neste momento encontro mais prós que contras! Em relação á linha de comboio, já tava desactivada, e tão bem sabem que a CP tem vindo a fechar linhas com bem mais movimentação! O douro tem mais barragens! Lembrem-se que graças às barragens o Douro é navegável, permitindo os cruzeiros que são dos mais apreciados pelos turistas.

 

Enviar um comentário

<< Home