quinta-feira, junho 28, 2012

Fusão de Porto e Gaia "não dá qualidade de vida"

O presidente da ACP, Rui Moreira, declarou que o Porto se deve procurar afirmar por não querer ser capital, em vez de se levar pelo discurso da nova capitalidade, o pior para a cidade, na sua opinião.

Para o dirigente da Associação Comercial do Porto (ACP), Rui Moreira, dizer que uma fusão entre Porto e Gaia podia criar a maior cidade do país em número de habitantes "não dá qualidade de vida a ninguém" e cria em torno da cidade o "estigma" de "querer ser uma nova capital".

"Este discurso de uma nova capitalidade é o pior discurso para a cidade do Porto. O Porto deve-se afirmar pela 'anti-capitalidade' e não é contra Lisboa, é por não querer ser capital. O que deve querer ser é ser uma das melhores cidades da Europa das que não são capitais", afirmou Rui Moreira à

Para o presidente da ACP, há uma necessidade de reorganizar a Junta Metropolitana do Porto, de reformar as suas competências e a forma de eleição do seu líder, que deveria ser por sufrágio direto, uma ideia já antes exposta.

Rui Moreira, que na terça-feira foi reeleito para novo mandato na presidência da ACP, acredita que a regionalização seria novamente chumbada em referendo se fosse votada hoje e considera que já é tarde para uma fusão entre Porto e Gaia, algo que seria bem-vindo há sete anos.

A coordenação entre cidades é tanto mais importante, explicou o presidente da ACP, quando se veem "permanentemente autarcas de outras cidades que sugerem a construção de pontes com a cidade do Porto. O que é isto senão a necessidade de uma integração?"

"De outra maneira, parece-me que estamos novamente a invocar que o Porto há de ser capital, há de ser o maior do mundo e isso pode ser interessante sob o ponto de vista de uma bandeira, mas depois acaba por nos matar", disse Rui Moreira, para quem sempre que há uma "querela entre Porto e Gaia ou entre Porto e Matosinhos" é perdido terreno para Lisboa.

@DN

Etiquetas:

5 Opiniões

At quinta jun 28, 12:36:00 da tarde, Anonymous Paulo Costa said...

Esta é também a minha opinião. É, no mínimo, provinciana esta ideia de fazer a maior cidade do país. Que parte da Gaia integraria a 'grande cidade'? O que fazer ao resto de Gaia ? Porque não integrar também Matosinhos? E já agora Gondomar...!

 
At quinta jun 28, 09:59:00 da tarde, Anonymous claudio said...

e ja agora maia e valongo... e espinho... é tudo continuo urbano e com relacoes fortes...

é mesmo ridicula esta ideia!

 
At sexta jun 29, 08:22:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

A fusão faz todo o sentido. Permitiria concentrar recursos e gastar menos. Mas claro que o Rui Moreira sabe que quantos mais concelhos tiver numa área, mais €€ chovem, por isso não lhe convém.

A ideia da maior cidade é ridicula, só mesmo vindo do Menezes

 
At quinta mar 13, 09:32:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Lisboa e os lisboetas estão-se a borrifar para vocês. Queremos lá saber se se unem ou não. LOL Não deixarão de ser uns pategos, e capital jamais serão.

Complexos de inferioridade.

 
At sexta mar 14, 01:23:00 da manhã, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Anónimo (09:32:00),

Pelo peso do centralismo radical vigente, Lisboa e os lisboetas podem, sem dúvida, estar a borrifar-se para o que se passa no resto do país. Mas já o resto do país, infelizmente, não pode alhear-se do que se passa em Lisboa.

Cumprimentos

 

Enviar um comentário

<< Home