domingo, novembro 11, 2012

Região Centro quer produzir 20% do PIB em 2020

O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) ambiciona que, em 2020, a economia da região represente 20 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) e tenha uma taxa de desemprego inferior à média nacional.

Pedro Saraiva, que intervinha no painel 'Horizonte Europa 2020 - Desafios do novo quadro comunitário de apoio?' do 7.º Fórum de Desenvolvimento, em Penela, apontou ainda como metas a diminuição das assimetrias territoriais em 10 por cento e uma taxa de 40 por cento de população jovem com formação superior.

«São objectivos ambiciosos, mas é por esses que vale a pena lutar. Se os vamos conseguir alcançar depende da capacidade de mobilização de todos e de cada um dos 2,4 milhões de portugueses que habitam na região Centro», disse o responsável, salientando que esta ambição «decorre de uma aposta forte de todos nós na construção desse caminho de futuro».

O presidente da CCDRC salientou que, actualmente, a região Centro já representa 18,6 por cento do PIB, exportando mais do que importa, e apresenta uma taxa de desemprego inferior à média nacional, cujo pico foi atingido no final de 2011 e desceu no último semestre.

«Não estou a ambicionar mais do que ter uma percentagem do PIB que corresponde à percentagem à população que temos na região Centro. Se cada habitante da região for tão produtivo e capaz de gerar riqueza como o cidadão médio do país nós conseguiremos chegar a esse valor», adiantou.

O facto do Centro de Portugal ter sido colocado na última semana entre as 100 regiões mais inovadoras da Europa mostra, segundo Pedro Saraiva, que «estamos a herdar dinâmicas dos últimos 10/20 anos que já estão a produzir excelentes resultados».

«Grandes empresas que não existiam criaram um novo tipo de realidade económica projectada para o mundo com capacidade de exportação e hoje somos uma região que exporta muito mais do que importa», realçou o responsável.

Segundo Pedro Saraiva, há uma ambição até 2020 que, sendo optimista, «assenta também numa boa dose de realismo», através de uma aposta nos sectores florestal, do mar, turismo, tecnologias de informação, tecnologia e electrónica, materiais, biotecnologia e saúde e bem-estar.

As metas apontadas no Fórum de Desenvolvimento são ainda «objectivos preliminares, alvo de discussão e de consensualização, mas penso que são bons objectivos de partida para lançar a discussão regional», acrescentou.

A região Centro é constituída por 100 concelhos, que representa 30 por cento da área de Portugal e 22 por cento da população nacional.

Diário Digital com Lusa

Etiquetas: