sexta-feira, maio 31, 2013

PORTO, LISBOA, ELEIÇÕES E CANDIDATOS

A candidatura de Luís Filipe Menezes à Câmara do Porto criticou a falta de "vergonha e ética" do presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, por se "imiscuir" nas eleições a Norte com acusações "sem fundamento" sobre a SRU.

"Eu acho que é preciso não ter vergonha nem ter ética para que o senhor Costa, que é candidato a Lisboa, venha imiscuir-se nas eleições da Câmara do Porto. Isto é um processo nunca visto", afirmou hoje à Lusa o porta-voz da candidatura de Menezes, Couto dos Santos.

Em causa estão os comentários de quinta-feira de António Costa que, sobre o processo da Sociedade de Reabilitação Urbana -- Porto Vivo, disse existir uma "instrumentalização do Estado (...) a benefício do candidato do Governo, que é o Dr. Menezes, procurando denegrir um trabalho muito importante que foi feito na cidade do Porto".

As declarações de António Costa no programa televisivo Quadratura do Círculo acabaram hoje publicadas no perfil da candidatura de Rui Moreira numa rede social, com o independente a subscrever a acusação.

Para Couto dos Santos, Rui Moreira deverá agora "desmentir e dizer que nada tem a ver" com as declarações de António Costa, "porque ele que se diz um candidato independente, neste momento é apoiado pelo CDS de Lisboa e agora até pelo PS de Lisboa, ou seja, é o candidato de Lisboa".

"Porque, um candidato de Lisboa vir apoiar o dr. Rui Moreira, eu acho que não fica bem", disse.

A candidatura de Rui Moreira afirmou, entretanto, que a publicação de declarações do presidente da Câmara de Lisboa tem como objetivo mostrar como o autarca "explicou bem, de forma lúcida, a questão da SRU do Porto".

A publicação de parte do programa na rede social Facebook tem "o objetivo político de se perceber que a questão da reabilitação urbana no Porto é nacional", acrescentou, salientando que tanto Lobo Xavier como Pacheco Pereira "corroboraram a opinião" de António Costa.

Apontou que ainda hoje, num artigo publicado num jornal, Menezes "diz que o Porto se está a amesquinhar por 2,4 milhões de euros quando há dias admitia assinar a carta aberta ao Governo", promovida por Rui Rio contra "o boicote" à Porto Vivo.

Sobre a possibilidade de esta publicação pretender denegrir a imagem do candidato do PSD à Câmara do Porto, Luís Filipe Menezes, a fonte referiu que a "imagem é denegrida pelo próprio".

Também o candidato do PS à Câmara do Porto, Manuel Pizarro, disse concordar com as declarações de Costa, salientando que no processo da SRU "há uma mão escondida por detrás destes arbustos, os arbustos são baixos e permitem ver que a mão vem do lado de Gaia", referindo-se a Menezes.

Pizarro destacou, porém, que "tão responsável pela situação da SRU é o PSD no governo como é o CDS no governo que apoia Rui Moreira", uma vez que "a ministra de cuja tutela depende a SRU, é do partido que apoia Rui Moreira como candidato à câmara".

O presidente do IHRU (Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana) revelou, em abril, que aquele organismo reprovou as contas da Porto Vivo relativas a 2012 para evitar a insolvência da empresa, numa assembleia-geral que esteve rodeada de polémica porque o IHRU avisou que "já não" pretende pagar a dívida de 2,4 milhões de euros à empresa, nem aprovar as contas de 2012.

Nas suas declarações, António Costa destacou ainda que a questão da SRU é "nacional", defendendo que deve ser dada "prioridade" à Reabilitação Urbana, que tem sido desvalorizada pelo executivo, e sublinhando o "sucesso" do trabalho feito pela Porto Vivo

Questionado sobre as afirmações deste autarca socialista, o presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, respondeu: "estou de acordo com ele e agrada-me".


Etiquetas: