terça-feira, junho 10, 2014

“ninguém fica onde não existe nada”...!

Fosso - Interior perde sete mil serviços e quase 200 mil pessoas

Desde 2000 que cerca de sete mil serviços públicos foram encerrados no interior do país. Ou seja, há um grande fosso entre o interior e o litoral que acaba por afastar os jovens, conta o Jornal de Notícias (JN).

Cerca de sete mil serviços públicos encerrados no interior do país desde 2000, Desde escolas, unidades de saúde, postos da GNR ou Correios, junta-se também os tribunais e as repartições das Finanças, anuncia o Jornal de Notícias

“Quando o Estado retira escolas, tribunais ou as Finanças, é a própria legitimidade do Estado que também desaparece”, explica Giovanni Allegretti, especialista em Planeamento Territorial, acrescentando que “ninguém fica onde não existe nada”.

De 1974 a 2013, o interior já perder 197 mil habitantes.

“O Estado não pode acentuar clivagem e agir com as regras do mercado. Fechar uma escola não é o mesmo que fechar uma loja ou um talho”, alerta Giovanni.

Giovanni afirma ainda que “nenhuma força jovem permanece num espaço onde o Estado só teve em conta a relação custo benefício, e não a especificidade”.

@NM

Etiquetas:

1 Opiniões

At sábado jun 14, 01:27:00 da manhã, Blogger Al Cardoso said...

"EXACTAMENTE: NINGUEM FICA ONDE NAO EXISTE NADA"!!!

 

Enviar um comentário

<< Home