Historia da Regionalização - PPM

O Partido Popular Monárquico — isoladamente perfilhou em 1982 uma divisão regional, contida no opúsculo titulado "Regionalização: Um Livro PPM". A dita agremiação alvitra, como cenário de regionalização do pais, 14 regiões administrativas por agregação de meia centena de "regiões naturais", cindidas ou em número inteiro: Minho; Trás-os-Montes Douro; Área Metropolitana do Porto; Litoral Atlântico; Beira Alta; Beira Baixa; Estremadura; Ribatejo; Área Metropolitana de Lisboa; Alto Alentejo; Alentejo Central; Baixo Alentejo; Algarve. Neste mapa individualiza ainda a Beira Interior aparecendo inserida na Beira Alta.

As propostas monárquicas preconizam soluções impregnadas de medievas ressurreições, que configurariam o país numa multiplicidade de entidades autárquicas, objectivando um sistema temporalmente deslocado, administrativamente impraticável e institucionalmente irrealista: estados insulares, regiões administrativas, regiões metropolitanas, províncias, comarcas, municípios (por atomização dos actuais), comunas urbanas, comunas rurais, uniões comunais, freguesias e cidades autónomas, para além do complementar rosário de associações entre si.

Jose Antonio Santos - Processo Histórico da Regionalização

Comentários

al cardoso disse…
De facto e muito mais coerente, a regionalizacao com cinco regioes.
Venha ela e depressa o interior agradece.