A propósito da % Funcionários Públicos


Em Portugal a % de Funcionários Públicos por cidadão é menor que a média europeia, todavia saltamos de imediato para o topo da escala quando consideramos a % de Funcionários Públicos na Administração Central por cidadão. Por isto (e não só) muita gente, residente em amplas fatias do território, queixa-se que é mal servida pela Administração Central e que não há uma estratégia sustentada para o desenvolvimento integral do país.

Há demasiado centralismo em Portugal que é bem mais grave que propriamente o montante global da despesa em função do PIB, ou seja, o problema maior é que há uma má distribuição regional da despesa pública. É aqui que urge revisitar o conceito de regionalização como uma fórmula administrativa para reformar o Estado. Vamos aproveitar a experiência de sucesso das Regiões autónomas - o maior crescimento nacional no último quinquénio - corrigir-lhes alguns erros e excessos e teremos seguramente as novas bases (regiões) que competindo saudavelmente entre si, construirão um Portugal muito mais dinâmico e solidário.

Comentários

al cardoso disse…
Mas e uma politica de mais centralizacao, aquela que o governo tem implementado!!!

Por mal dos nossos pecados.
Anónimo disse…
Hoje concordo com quase tudo. Mas o que está em causa não é o número de funcionários, é sim o dinheiro que recebem.
Apenas refiro que se gasta 20% a mais com funcionários públicos. Ou se reduz os vencimentos ou se reduz o número de funcionários.
E a regionalização não pode aumentar este "exército".
Quanto à política centralizadora do Sr. Sócrates, estava no livrinho e os portugas votaram.
Zé Rocha disse…
Pena é que estamos sob o mais desenfreado governo centralista ,desde os tempos de salazar !!!

Pior,o país vai padecer de varias encefaleias até perceber que a macrocefalia de lisboa é ,não apenas inútil, como prejudicial.

Finalmente,cedo ou tarde reconheceremos que sem Regionalização,madrid será a verdadeira capital de uma Ibéria em que nós seremos só mais uma autonomia,pois...quem tudo quer, tudo perde...
Anónimo disse…
A Regionalização não tem nada a ver com Madrid ou com a Galiza, ou qualquer outra trêta. O problema é que Portugal, para a UE, está regionalizado. Três NUTS I, Sete NUTS II e 30 NUTS III. O actual modelo serve perfeitamente a quem está no governo. Regionalizar, num país "esfomeado" por lugares políticos, bem remunerados, iria aumentar o famoso defice e não traria mais riqueza. Portanto, a palavra de ordem é adiar... adiar... adiar... no sentido de que, adiar é resolver.