Uma opinião sobre a regionalização

Nos últimos dias têm aparecido algumas ideias sobre um novo referendo para a regionalização, gostaria de deixar aqui a minha opinião sobre este assunto.

1- No Alentejo só pode haver uma região, não faz sentido haver duas ou três pequenas e pobres que depois não têm qualquer expressão a nível nacional.

2- Os alentejanos devem remar todos para o mesmo lado, e não começar com ideias de divisão.

3- Se o Alentejo for apenas uma região, vejam bem do que dispomos todos juntos: água, vias de comunicação, meios de transporte modernos (Aeroporto e TGV, litoral, o melhor porto marítimo do país e talvez da Europa, capacidade para produzirmos grande parte da energia que consumimos (solar, eólica, hídrica), capacidade de produção agrícola como mais nenhuma região terá, uma envolvente ambiental ainda relativamente preservada, tradições e gostos comuns desde o Baixo ao Alto Alentejo, receitas provenientes do turismo que tendem a aumentar muito nos próximos anos...

Parece-me que não haverá mais nenhuma região que tenha tantas cumplicidades e potencialidades.

Publicado no "Mais Évora"

Comentários

AF disse…
Sou nortenho, mas apoio fortemente a causa alentejana. É, possívelmente, a zona mais prejudicada pela não-regionalização. E, se já não o é, o Alentejo deve ser agora propriedade de muitos, menos dos alentejanos, o que é triste.
Foram os únicos que em 1998 decidiram a favor...foi coincidência ou o alentejano percebeu bem antes de todos a "conversa de treta" da descentralização?
Kruzes Kanhoto disse…
Não há alentejanos do norte ou sul, do interior ou do litoral. Somos alentejanos e pronto! Uma única região terá de ser obviamente o caminho a seguir.
Calécia disse…
Concordo! Penso que uma região é o indicado para a questão em causa. Embora ache que os alentejanos deveriam ser os próprios a decidir isso.