terça-feira, julho 29, 2008

PIB regional - Norte 80% ; Lisboa 140%

Norte cada vez mais longe de Lisboa e do resto do País

Uma década não foi suficiente para Portugal se aproximar da média europeia em termos de rendimento por habitante, mas chegou para se acentuarem as disparidades regionais dentro do País, com o Norte a ficar para trás na corrida por um melhor padrão de vida. Este é um retrato da evolução regional revelado ontem pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Uma década não foi suficiente para Portugal se aproximar da média europeia em termos de rendimento por habitante, mas chegou para se acentuarem as disparidades regionais dentro do País, com o Norte a ficar para trás na corrida por um melhor padrão de vida. Este é um retrato da evolução regional revelado ontem pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Em dez anos, a região Norte foi a única que perdeu quando comparada com a média da riqueza por habitante a nível nacional: em 1996, o PIB 'per capita' da região era de 85% da média, tendo caído para 80% dez anos depois.

Apesar da ligeira melhoria de um ponto entre 2005 e 2006, o Norte afirmou-se na última década como a região mais pobre do País. No mesmo período, o Centro manteve-se nos 85% da média e as restantes regiões melhoraram, com a Madeira a registar um crescimento fulgurante, saltando de 90% para 128%. Lisboa manteve-se na dianteira das regiões mais ricas, passando de 138% para 140% da média nacional.

Fonte "Jornal Negócios"
.

6 Opiniões

At terça jul 29, 11:22:00 da manhã, Blogger Pedro Ary Ferreira da Cunha said...

Vou fazer algo que não devia e não vou comentar o texto. Antes gostaria de agradecer a todos os colaboradores deste blog pelo magnífico trabalho que têm feito ao longo dos últimos anos.

Estou convicto que este blog tem feito mais pela regionalização do que qualquer outro blog, do que qualquer conferência, do que qualquer debate sobre o assunto, ou do que qualquer artigo de jornal.

O país precisa da regionalização e ela chegará um dia. Quando chegar será, também, graças aos que, como vocês, preserveraram na sua defesa como modelo de desenvolvimento.

Muito obrigado.

 
At terça jul 29, 11:48:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Atenção aos mitos... A regionalização pode fazer tanto pelo Norte, como tem feito a hegemonia no futebol. O domínio do futebol correspondeu a um empobrecimento.
A suposta regionalização pode fazer pior. O Norte precisa de dirigentes activos e sindicalistas "não criminosos", de forma a trabalhar mais, produzir mais, voltar a ser o norte do trabalho e da riqueza.
O resto, conversa de bananeiro para enganar mapuatas...

 
At terça jul 29, 05:12:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

O Norte não é todo igual.
Viver no concelho do Porto não é o mesmo que viver em Carrazeda de Ansiães. A maior parte da economia está na AMP. Separe-se então a AMP do resto do Norte e vamos olhar para os dados estatísticos. Deveriam investir mais fora dos grandes centros Porto e Lisboa. O Centralismo vive nessas cidades.

 
At quarta jul 30, 01:41:00 da manhã, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Caro Pedro Ary Ferreira da Cunha

Quero agradecer-lhe as palavras elogiosas ao trabalho, desinteressado, aqui desenvolvido em prole de uma mais eficaz administração do território por forma a esbater a dupla inclinação em termos de desenvolvimento (para o litoral e para Lisboa), que afecta o nosso país.

Cumprimentos,

 
At quarta jul 30, 02:08:00 da manhã, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Caro Anónimo,

Quando falamos em Centralismo, referimo-nos à sua variante politico-administrativa. Ora, sendo assim, não podemos meter no mesmo saco a AM Porto e a AM Lisboa.

Cumprimentos,

 
At segunda ago 04, 01:29:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Caros Regionalistas,
Caros Centralistas,
Caros Municipalistas,

Já há muito tempo que não presenciava escritos da autoria de "treinadores de bancada" suportados por "argumentos de tasca".
Indo directamente ao assunto, quero referir-me à intervenção do "Anónimo disse das 11:48:00 AM, do passado dia 29 de Julho. Parece-me que não tem lido ou percebido nada do que aqui tem sido escrito.
Paciência ...

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 

Enviar um comentário

<< Home