segunda-feira, setembro 22, 2008

Região Norte e Galiza

Norte e Galiza criam novo orgnismo de cooperação

A Os presidentes da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento do Norte (CCDRN) e da Junta da Galiza assinam hoje, em Santiago de Compostela, o convénio para a constituição do primeiro
Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) entre regiões de Portugal e Espanha. 

"Não é um grande passo em frente, são vários", considera o presidente da CCDRN, Carlos Lage, a propósito da importância do papel que perspectiva para a nova entidade.

Trata-se de um órgão de natureza comunitária dotado de personalidade jurídica, que foi criado por regulamento do Parlamento Europeu com o objectivo de fomentar as iniciativas de cooperação transfronteiriça à luz da nova geração de fundos europeus e das orientações de política regional que lhes estão associadas. 

"A ideia é aprofundar os mecanismos de cooperação na aplicação de fundos
comunitários e o AECT permite avançar para uma mais ampla e ousada participação nesse campo", frisa Carlos Lage.

O envolvimento das duas regiões em programas de cooperação atinge já um patamar muito elevado, mas com a particularidade e os projectos implicarem sempre um modelo e aplicação que funciona de forma autónoma em cada um dos lados da fronteira. Com o novo organismo passa a haver uma entidade comum com um campo de acção alargado aos teritórios da Galiza e da Região Norte de Portugal.

"Faltava um organismo que permitisse o reforço do edifício institucional de cooperação entre as duas regiões", avança o líder da CCDRN, que hoje reassumirá também a presidência da Comunidade de Trabalho Galiza-Norte de Portugal, depois dos dois anos de exercício do presidente da Junta da Galiza, Emilio Pérez Touriño.

A nova entidade, que emana e funcionará no âmbito da comunidade de trabalho, tem como principal objectivo "facilitar e fomentar a cooperação territorial, com o fim exclusivo e reforçar a coesão económica e social" entre as duas regiões, conforme consta do texto do convénio que hoje será assinado na capitalgalega.

Por acordo já estabelecido entre os responsáveis por ambas a regiões, o novo organismo vai ter a sua sede na cidade de Vigo, sendo dirigido por um português, a quem caberá apresentar um programa de acção e propostas concretas para iniciativas a desenvolver na euro-região.

Existe já um plano de cooperação traçado pela Comunidade de Trabalho para o período 2007-20013 (correpondente ao novo quadro comunitário), cabendo agora ao AECT colaborar na sua execução.

Além da "promoção da competitividade do tecido empresarial", as acções a desenvolver devem ter em vista a "impulsionar os sistemas básicos de transporte e acessibilidade" e o aumento da "coesão social e institicional" na euro-região.

Público
2008.09.22

5 Opiniões

At segunda set 22, 08:48:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

caros Regionalistas,
Caros Centralistas,
Caros Municipalistas,

AECT's=AM's=CIM's=CU's=AMN's, em termos de benefícios nulos a favor do desenvolvimento, mesmo na linha da cooperação entre regiões transfronteiriças, como é este o caso.
A agravar ainda esta situação, a CCDRN não está numa situação de paridade deliberatória no plano político, tendo de submeter todas ou algumas propostas de deliberação, no âmbito das AECT's, a homologação ministerial.

 
At terça set 23, 10:26:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Morrinhoso, sempre a meter o bedelho.

 
At terça set 23, 02:48:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Caros Regionalistas,
Caros Centralistas,
Caros Municipalistas,

Continuamos a deparmo-nos com as dificuldades habituais no estabelecimento de um trabalho objectivo a favor de uma política de regionalização.
Na verdade, já apreciamos bem quem costuma tomar posição contrária à da regionalização, seja administrativa ou autonómica; assomam agora alguns dos seus mais "legítimos" defensores, possuidores não de massa cerebral mas de massa esponjosa que os motiva mais a insultar do que a argumentar (estão ou estiveram presentes noutros "blogues" que muito contribuiram para os inquinar e aniquilar, não sendo desconhecidos de todo).
Cada vez me convenço mais que não deve haver qualquer intenção deles na manifestação de tal tendência insultuosa, antes demonstra uma incapacidade própria on congénita para compreender o que, em termos muito, muito simples, lhes é dado a conhecer, reconhecendo agora sem qualquer resultado positivo (neste caso, foi uma péssima aposta, mas enfim alguma vez se haveria de errar, lamentavelmente).
Por isso, tais "figurões" não são capazes de dar a "volta por cima" (nem por baixo) e, então, limitam-se a "treinar da bancada" (claro que é o pior sítio) e a "argumentar de tasca" (como sabem, não é bem o lugar ideal para argumentar seja o que for).
Finalmente, teremos de continuar a nossa acção proselitista, com a maior paciência possível, de forma a que os tais figurinos possam um dia aproveitar com vantagem as possibilidades que lhes são dadas, a fim de aprenderem a dialogar e a raciocinar por escrito com a normalidade própria de pessoas ajuizadas, civilizadas, actualizadas, modernas, educadas e respeitadoras.
Gostaria de propor uma desintoxicação apropriada ao estado mental lastimoso em que se encontra, apesar de reconhecer que levará bastante para alcançar a normalidade mental e comportamental.

Oxalá consiga recuperar depressa e bem, amen.

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 
At terça set 23, 06:10:00 da tarde, Blogger Sérgio Gonçalves said...

Mas será que vai haver mesmo cooperacção entre as duas regiões, é que não podemos esquecer, que uma tem um governo autónomo, e o norte de portugal tem uma "Comissão de Coordenação e Desenvolvimento regional"


http://wwwbragablog.blogspot.com

 
At terça set 23, 06:34:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Caro Sérgio Gonçalves,

Obrigado por ter sintetizado numa única pergunta o que procurei fazer num texto mais longo.

Os meus cumprimentos.

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 

Enviar um comentário

<< Home