quinta-feira, dezembro 04, 2008

Descentralização em ... Espanha


Alta Velocidade chega a Zamora em 2010

Os 92 quilómetros de comboio de Alta Velocidade (AVE) entre Olmedo (Valladolid) e Zamora estarão prontos no prazo de dois anos, após um investimento de 265,5 milhões de euros, avança o jornal La Opinión – El Correo de Zamora.

Os prazos foram divulgados pelo delegado do Governo em Castilla y León, Miguel Alejo, durante uma visita às obras da plataforma de Alta Velocidade que está a ser construída na província de Zamora, que pertence à linha que unirá Madrid e a Galiza.
.

5 Opiniões

At quinta dez 04, 01:07:00 da tarde, Blogger hfrsantos said...

Comboio espanhol poderia passar por Bragança e Chaves no seu caminho entre Valladolid e Ourense.
Cooperaçao estrategica entre os dois paises ainda nao esta no ponto e muito menos a cooperaçao regional.

 
At quinta dez 04, 09:55:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Caros Regionalistas,
Caros Centralistas,
Caros Municipalistas,

São bem visíveis as diferenças no processo de decisão política entre Portugal e Espanha, para benefício deles e desgraça nossa.
Já nem sei o que as pessoas precisam de ter mais como argumentos para se convencerem dos benefícios da regionalização, autonómica mas nunca administrativa.

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 
At sexta dez 05, 01:55:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Tem razão. Agora percebo que em tempos a Espanha estava mais pobre que Portugal, porque o Franco era Centralista e o Salazar Regionalista.
Não há paciência...

 
At sábado dez 06, 01:11:00 da manhã, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Caro Anónimo - 01:55:00 PM

Tem toda a razão. Não há mesmo paciência ...

Cumprimentos,

 
At sábado dez 06, 11:15:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Caro Anónimo disse ... das 01:55:00 PM,

Não seja tendencioso. Sabe bem que a Espanha de então era muito mais avançada tecnica e industrialmente que o nosso País, apesar de algumas zonas geográficas terem sido alvo de um atraso qase crónico que só foi resolvido com a regionalização, sem excluir as consequências da Guerra Civil de 1936/1939 que foram devastadoras.
Por outro lado, não queira comparar a estratégia política de um "padre" (rural) com a de um militar vencedor e progressivamente cosmopolita. Aquele só quis aferrolhar ouro no Banco de Portugal, em prejuízo do desenvolvimento industrial e económico e com uma moeda muito forte (e o povo na miséria); aquele não tinha tantoouro ou reservas mas tinha uma política tecnologócica e industrial que fez desenvolver a Espanha no aproveitamento de todos os seus recursos próprios, mais tarde potenciados pela regionalização autonómica.
Pelos vistos, por cá, queremos continuar a ganhá-lo sem fazer aquilo que nos compete em termos de trabalho, dedicação e competência (quase como alguns professores).
Realmente, não ha paciência que possa legitimar certas posições de alguns intervenientes, lamentavelmente.

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 

Enviar um comentário

<< Home