Area Metropolitana Lisboa e o resto é... paisagem!

1 - O Governo lançou hoje o concurso público internacional para a construção da terceira travessia ferroviária do Tejo, entre Chelas e o Barreiro. A nova ponte faz parte do troço de alta velocidade ferroviária entre Lisboa e Poceirão e representa um investimento na ordem dos 1.400 milhões de euros.

2 - O Governo lançou também o segundo, e último concurso, da ligação entre Lisboa e Madrid (TGV). Esta obra tem o valor de 1928 milhões de euros.

3 -Está igualmente incluída a ligação ferroviária ao Novo Aeroporto de Lisboa, entre o Poceirão e o Campo de Tiro de Alcochete, bem como a totalidade das estruturas partilhadas entre os modos ferroviário e rodoviário e ainda as infra-estruturas exclusivamente rodoviárias.

4 - Os encargos para o Estado, que resultam destas empreitadas, têm uma estimativa na ordem dos 165 milhões de euros anuais, no prazo de 40 anos.

..............

Para percebermos tudo isto, atente-se agora ao que diz o famoso
Relatório - PNOT (Plano Nacional de Ordenamento do Território)


O reconhecimento de que a Area Metropolitana Lisboa é o principal espaço de internacionalização competitivo de Portugal. pemite ter expectativas que será na Região de Lisboa que deveráo ser concentradas as principais acções e medidas que reforcem esse papel a nivel europeu e mundial.

Sem descurar a preocupaçáo com o desenvolvimenlo harmonioso das restantes regióes do pais que complementaráo essa competitividade e náo entraráo em competição/anulação desse designio, ou desenvolverão outras apeténcias, como o caso do Turismo no Algarve.

... e está tudo dito !

Comentários

Jose Silva disse…
António,

Tem link para documento oficial ?!
Afonso Miguel disse…
Isto é vergonhoso. Escandaloso. Inacreditável. O descaramento neste país ultrapassa tudo. Depois venham os "templários" e outros que tais, defender a unidade nacional. Para dar nisto. Isto é o pior que se pode fazer a Portugal.

Assim não admira que apareçam vozes como as dos transmontanos, alentejanos e portuenses:

"Em Lisboa eles que se governem, que nós cá nos governamos".
zangado disse…
Cada vez mais me convenço que a "falsa democracia" em que vivemos tem de levar uma grande volta. Falsa porque, como nos mostra este post, não existe igualdade entre as diferentes zonas e seus habitantes deste país.Por isso, defendo uma regionalização que impeça que crimes, como estes referidos, continuem, em prejuízo dos outros portugueses. Se não conseguirmos a autonomia necessária que nos restará? Continuar nesta situação de escravatura ou lutar pela nossa dignidade e pelas nossas terras e seus habitantes, contra os que, no sul e infelizmente também no Norte, aceitam viver e prosperam com a actual realidade.
Depois queixem-se do que vier a acontecer.
Portugal primeiro, Lisboa não!
Cumprimentos
Caro Jose Silva,

Tenho o documento completo (PNOT) por aqui algures no meu computador. Logo que o localize faço-lhe chegar.

Cumprimentos,
Anónimo disse…
Quem olhar para o mapa da AM do Porto vê logo que não é apenas "Lisboa"... É talvez "Lisboa e Porto, e o resto é paisagem!".
zangado disse…
Não costumo responder a anónimos mas não deve conhecer bem a Área Metropolitana do Porto. Não é só a geografia que interessa, também os investimentos públicos no que é necessário, um reconhecimento do seu lugar e importância com um canal de televisão nacional terrestre e muitas outras coisas que não temos nem nos deixam ter e que são necessários. Se chegamos a isto a culpa é dos políticos (não todos, felizmente) que se venderam aos interesses centralistas do governo e atraiçoaram os seus eleitores, como muitos deputados, presidentes de câmaras e muitos outros carreiristas que por aí polulam.
Naturalmente que, por exemplo o Porto mais Gaia, Matosinhos e Gondomar bastam para formar um grande centro populacional europeu, tendo a área metropolitana toda (e ainda não está completa) uma população que não fica muito longe da de Lisboa. Mas: o dinheiro que recebemos tem alguma comparação? Os jornais e tvs tratam-nos e aos nossos valores da mesma maneira que aos da Grande Lisboa?
Por isso não estamos satisfeitos com um TGV alentejano que, já se sabe agora,vai acumular prejuízos, vários aeroportos nessa região e uma nova ponte agora onde devia ter sido construída a anterior. Uma ponte dessas custa mais de 500 ou 1000 cá no Norte, mas, para cá só vêm os tostões pois os milhões ficam sempre no sul.
Conheça melhor a realidade e depois, sim senhor, discorde à vontade.
Anónimo disse…
Leio e não quero acreditar.
Os políticos que tomaram Lisboa de assalto tomam estas decisões criminosas, que os beirões e transmontanos apelidam de decisões dos lisboetas.
Leio o que escrevem sobre Trás-os-Montes e Beira Interior e só penso no que acontece na Guiné Bissau.
Aconselho uma paragem para pensar, consultar dados e reflectir.
Entregar os transmontanos e os beirões ao seu destino é atirá-los para a miséria.
Hoje, estão à mesa do orçamento.
Amanhã estariam de mão estendida...
Digam que é mentira, tal como os guineenses acreditavam que os guerrilheiros lhes trariam a terra do leite e do mel e só lhes deram miséria e morte...
Portanto, o Norte todo numa Região. As Beiras, unidas apenas numa Região.
Solidariedade é à mesa do orçamento.
Nunca na praça pública...