quinta-feira, março 05, 2009

Douro - Best of Wine Tourism 2009

Best of Wine Tourism 2009

Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo


A Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo recebeu hoje, em cerimónia que teve lugar no Museu do Vinho do Porto (no Porto), o Prémio Internacional «Best of Wine Tourism 2009», na categoria de Arte e Cultura, devido ao seu mais recente projecto de enoturismo, a Wine House, na estação do Pinhão.

Este galardão internacional, que é atribuído oito meses após a abertura da Wine House, vem juntar-se aos anteriores prémios que o Hotel Rural Quinta Nova conquistou, nas categorias de Alojamento, em 2007, e Arquitectura, Parques e Jardins, em 2008.

“O esforço que vem sendo feito pelo Grupo Amorim no sentido de valorizar o património natural e histórico de cada projecto que inicia, levou-nos a que, olhando para o Pinhão, encontrássemos na estação de caminhos-de-ferro, o local ideal para expor o espólio recolhido ao longo de vários anos por Fernanda Amorim, minha mãe, que tão bem retrata o ciclo do vinho do Porto nos séculos XIX e XX”, sublinhou Luísa Amorim, Administradora da Quinta Nova, durante a cerimónia de entrega do prémio, que contou com a presença do seu pai, o Comendador Américo Amorim.

A existência deste núcleo museológico, baseado na colecção privada de Fernanda Amorim, foi uma das razões que levou o júri internacional do Prémio “Best Wine Tourism Award 2009” a eleger a Wine House como projecto vencedor a nível internacional. Para a atribuição deste prémio, o júri valorizou ainda a reabilitação do património histórico da Estação do Pinhão, bem como a dinamização económica que este espaço de enoturismo motivou a nível regional.

O concurso, da responsabilidade da Rede de Capitais de Grandes Vinhedos (Great Wine Capitals), contou este ano com a participação de 384 candidatos provenientes das oito cidades/regiões vinhateiras que formam esta organização.

A Wine House da Quinta Nova, da família Amorim, conseguiu este prémio ex-aequo com três outros projectos de renome internacional:

• Fundacion Dinastia Vivanco (Bilbao - Rioja, Espanha)
• Villa Petriolo (Florença - Itália)
• Bodegas Salentein/Museum Killka (Mendoza, Argentina)

Atrás ficaram outras candidaturas, entre as quais o conceituado projecto de Robert Mondavi (Napa Valley, EUA).

Sobre a Wine House

A Wine House ocupa cerca de 460 m2 e inclui uma loja com esplanada para a degustação e venda de produtos Quinta Nova, uma sala privada para a realização de eventos e um núcleo museológico. Destaca-se aqui a colecção permanente de um membro da família Amorim, composta por cerca de 500 peças reunidas ao longo de 13 anos e que retratam o ciclo do vinho nos séc. XIX e XX.

Localizada na antiga Estação de Caminhos-de-Ferro do Pinhão, uma das mais emblemáticas estações de Portugal, a Wine House foi inaugurada no passado dia 1 de Junho, precisamente no dia em que se comemoraram 128 anos da chegada do primeiro comboio a esta estação. A Wine House resultou de uma parceria inédita entre a Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo e a Refer, gestora da rede de caminhos-de-ferro portugueses.

O projecto de valorização veio dar nova vida aos espaços desactivados da Estação, criando um conceito totalmente inovador e integrado. A Wine House funciona também como extensão do Hotel Rural da Quinta Nova e neste espaço o turista fica a conhecer o projecto de enoturismo e enologia desenvolvido no Douro.

Sobre o “Best of Wine Tourism”

“Best of Wine Tourism” é um concurso internacional que visa premiar a oferta de excelência e incentivar a manutenção de altos parâmetros de qualidade na prestação de serviços de Enoturismo. O concurso é promovido pela Rede de Capitais de Grandes Vinhedos (www.greatwinecapitals.com) integrando as cidades/regiões do Porto, Bilbao-Rioja, Bordéus, Cidade do Cabo, Florença, Melbourne, Mendoza e S. Francisco-Napa Valley.

Esta Rede, constituída em 1999, por iniciativa das Cidades do Porto e Bordéus, tem como missão principal a promoção das regiões vinhateiras associadas, representadas por cidades de relevo mundial, fomentando o desenvolvimento económico, cultural e académico através da criação de plataformas de cooperação. Os prémios são sempre atribuídos por um júri constituído por especialistas das 8 capitais, por ocasião da Assembleia-Geral anual.

 2009-03-03

1 Opiniões

At sexta mar 06, 12:46:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Caros Regionalistas,
Caros Centralistas,
Caros Municipalistas,

Oxalá, num futuro próximo, o caso concreto do desenvolvimento mais aprofundado, equilibrado e autosustentado (com defesa intransigente de todas as vertentes ligadas ao ambiente) de uma sub-região de excelência como a do Alto Douro, seja protagonizada pelos órgãos de "soberania" regional através do funcionamento da futura Região Autónoma de trás-os-Montes e Alto Douro.
Esta é uma das regiões onde ainda se pratica a cultura empresarial de produção vinícola de excelência, nascida de decisões importantes tomadas há mais de 250 anos pelo Marquês de Pombal e a regionalização autonómica é uma das raras oportunidades e a solução política para se poder aprofundar tal esforço de excelência e não se deitar por terra todo o esforço desenvolvido até hoje, nomeadamente o da valorização integral associada ao estatuto de património da Humanidade.
Este é um exemplo perfeito, a estender pelas restantes Regiões Autónomas, da viabilidade possível de valorização dos recursos de uma dada região e de os afectar mais eficazmente à sua produção própria, sempre que se tomem as decisões adequadas às características de cada uma das Regiões Autónomas envolvidas. Entre essas decisões está a prioritária e imprescindível regionalização autonómica.

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 

Enviar um comentário

<< Home