quarta-feira, março 17, 2010

Regionalização, Alentejo a Região Piloto

Alentejo, Passos Firmes


Este é o momento de se ter orgulho no que está a ser feito e nas pessoas que têm metido mãos à obra porque um dia ousaram sonhar. Neste artigo não se encontra o que ainda falta fazer em nome do desenvolvimento da região, não se procuram iludir as dificuldades que existem. Mas também não se encontram palavras de desanimo, bem pelo contrário.

Neste espaço vou sublinhar medidas que são expressão do potencial do Alentejo, reconhecido a nível nacional e internacional. E, muito importante, sentidas como boas pelas pessoas que vivem na região. Na certeza que nenhuma desta medidas é uma obra acabada, todas resultam da coragem e do empenho de quem vive o Alentejo.

Começo pelo Programa de Intervenção Precoce no Alentejo, ao qual foi atribuído pela Organização Mundial de Saúde, o Prémio da Fundação para a Saúde dos Emirados Árabes Unidos. Este Prémio é o reconhecimento inequívoco da importância do trabalho que está a ser desenvolvido no terreno, por centenas de profissionais, das áreas da saúde, educação e acção social, e que abrange cerca de 2000 crianças, com problemas de desenvolvimento, até aos seis anos, em todo o Alentejo.

A Intervenção Precoce é uma resposta que está a ser desenvolvida em diversos locais mas a única região onde vingou foi a nossa! Desde logo, tem o mérito de ser um testemunho da nossa tenacidade e competência. A forte concertação profissional e interinstitucional permitiu que este programa ganhasse identidade própria e se afirmasse no contexto nacional.

O futuro Hospital Central do Alentejo é outra prova de que existe massa critica no Alentejo, com forte capacidade de execução. Neste momento, já está em fase de preparação o concurso para a empreitada, estimando-se que esteja concluído em Dezembro de 2014. A ampla diversidade de serviços, com elevado nível de diferenciação clínica e tecnológica, vai abranger tanto o distrito de Évora, como os cerca de 440 mil habitantes da região.

Avanço com o investimento em Alqueva, um dos mais paradigmáticos exemplos da nossa capacidade de dar passos firmes. O maior lago da Europa atingiu este Inverno a cota máxima. O regadio está em forte expansão e a sua capacidade de produção energética em alta. Assim, atingiram-se os objectivos para que foi construída!

Por último, refiro o facto de, em 2009, o Alentejo ter sido a única região do País, em que o Turismo aumentou fortemente. Está na hora de potenciarmos o desenvolvimento sustentável, de investirmos fortemente naquilo que é a nossa identidade, no nosso património material e imaterial. O nosso ouro é a nossa cultura.

Há um mundo de iniciativas interessantes espalhadas pelo Alentejo e que representam a nossa capacidade de dar passos firmes. Todas elas têm em comum as gentes do Alentejo, os que cá nascerem e aqueles a quem nasceu o carinho pela região. O Alentejo Positivo manifesta-se das mais diversas formas, todas elas representam a vitalidade deste território.

|Paula Nobre de Deus|