segunda-feira, abril 26, 2010

Regionalização simultânea ou experimental (?)

Silva Pereira desafia PSD a clarificar posição sobre regionalização

O ministro da Presidência desafiou, esta segunda-feira, na Conferência sobre Poder Local, o PSD a clarificar posições sobre a regionalização.

Na sua intervenção na Conferência sobre Poder Local, organizada pela TSF e pela Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas, Pedro Silva Pereira desafiou o maior partido da oposição a clarificar a sua posição sobre a regionalização.

Pelo que ouviu e leu da nova direcção do PSD, o governante suspeita de um adiamento da criação de regiões pelo menos até 2018 e, por isso, lembra que o Governo está à espera de um sinal do partido agora liderado por Pedro Passos Coelho.

«Desejamos a regionalização, um referendo à regionalização, mas ganhador, por isso esperamos que da parte do maior partido da oposição venha um sinal favorável», sendo que esse sinal ainda «não veio», afirmou.

Até lá, as políticas regionais têm de ser feitas pela Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR).

Para Silva Pereira, as propostas do PSD de acabar com as CCDR ou reforçá-las com secretários de Estado, «em sinal contraditório», não fazem sentido e não respondem a qualquer problema.

«Havendo consenso do PSD, ficariam criadas melhores condições para avançarmos com o processo» de regionalização, reforçou.

No entanto, acrescentou, o PSD vai apresentar um projecto de revisão constitucional para «não haver regionalização simultânea em todo o país e criar um processo meramente experimental numa região do país».

|TSF|

Etiquetas:

1 Opiniões

At terça abr 27, 04:37:00 da tarde, Anonymous Paulo Rocha said...

Começam, novamente, a adensar-se as nuvens sobre a Regionalização. Esta nova posição da, também nova, liderança do PSD torna tudo muito mais complicado.

Gostaria de saber o que é que agora têm para dizer o Sr. Marco António Costa e o Sr. Mendes Bota?

 

Enviar um comentário

<< Home