terça-feira, novembro 09, 2010

Rangel - o "era e não era"

Regionalização «não é urgente», diz Paulo Rangel

Eurodeputado do PSD alerta para um «fosso territorial» e pede «distribuição regional justa dos recursos»

A regionalização «não deve ser uma prioridade» para Portugal. A afirmação é do eurodeputado do PSD Paulo Rangel. Em entrevista à Agência Lusa sobre o livro que lança sábado no Porto, intitulado «Uma democracia sustentável», e quando questionado sobre a regionalização, Paulo Rangel considerou que é fundamental «equidade e coesão territorial» e «uma distribuição regional justa dos recursos».
«Aquilo que é uma prioridade é uma distribuição regional justa dos recursos, que é isto que não tem havido», afirmou. Paulo Rangel alertou para o perigo do «fosso territorial» e para o facto de hoje «Trás-os-Montes e Alto Douro e a faixa que vai da Guarda até Portalegre ou Évora estarem completamente abandonados».

Para o eurodeputado do PSD há «uma grande concentração de recursos em Lisboa e na zona da Grande Lisboa e isso cria uma grande injustiça territorial», o que é prejudicial para o país sob vários pontos de vista.

«Não é bom para o desenvolvimento humano, social e económico do país, mas também não é bom na equação peninsular e deixa o país desguarnecido a algumas aproximações de Espanha», avisou.

Para o ex-candidato à liderança do PSD, a «equidade e coesão territorial» poderia ser conseguida não só com a regionalização, mas também com uma política de dinamização de cidades. «Outra forma é aproveitar as actuais Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional e dar-lhes poderes efectivos para elas serem, embora dependentes do Governo, à escala regional interlocutores», sublinhou.

Recusando a ideia da urgência da regionalização, Paulo Rangel garantiu que Portugal pode «perfeitamente viver sem ela». O que Portugal não pode é «continuar a viver neste fosso territorial» que resulta num país a várias velocidades.

|lusa|
.

Etiquetas:

5 Opiniões

At quinta nov 11, 06:34:00 da tarde, Blogger templario said...

Caro António Felizes,

Que se passa com a vossa Regionalização? Ninguém vos liga, exepto o Caro pró-7RA., que agora raras vezes por aqui aparece, dando sinais de não estar nada de acordo com as vossas propostas.

Estais isolados, a falar para o boneco.

Eu bem vos dei uma ajuda, participava mais vezes, mas a vossa convicção anda muito por baixo...

É isso.

Não vale a pena iludir o cerne dos problemas, os problemas do país não estão em haver ou não haver regonalização, regionalização é coisa que o povo despreza.

Transforme a sua ação na denúncia dos oportunistas que golpearam o nosso sistema partidário.

Ou, então, comecem a apoiar o regionalista Filipe Meneses à C.Municipal do Porto, o seu sonho imediato, depois de merecer o maior desprezo do seu partido e do país quando foi líder do PSD. É o que acontece a quem persiste em retalhar o país.

O Gang regionalista do Porto, aliado aos órgãos de justiça da região, lá saíram absolvidos daquelas macacadas nas Antas com o Estádio, como, aliás, aconteceu com o apito dourado. Tudo absolvido. Os regionalistas estão bem relacionados...

Mas uma coisa é certa: os meliantes deram-nos uma abada no Draão, daquelas de humilhar e é verdade que o mesmo árbitro desta vez não teve influência. Não foi preciso... O Jesus tem aquele defeito de ser lagarto, um idealista chapado.

Atendendo à crise, porque não inicia um ciclo de biografias de regionalistas famosos? Começava pelo Sr. Pinto da Costa, o Menino João da Madeira, o cançonetista Botas, o iberista lagarto Oliveira Costa, por aí fora, o Dr.Moreira comentador desportivo e analista político...

Tenho lido os artigos do vosso colaborador Sr. Castanho, mas são demasiado irrealistas...

Como pode perceber, estou a tentar lançar algum oxigénio à vossa causa -perdida.

Mas aguardo com entusiasmo pela eventualidade de próximo referendo, para gozar à grande a vossa pesadíssima derrota.

Isto é que vai uma crise...

Cumprimentos para si e para o Caro pró-7RA., caso apareça por aqui.

 
At quinta nov 11, 11:11:00 da tarde, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Caro Templario,

Começo por lhe agradecer a sua preocupação relativamente à afluência ao blog da Regionalização.

Todavia, lamento desiludi-lo, mas o que é certo é que o Regionalização nunca teve tantos visitantes como agora. Não olhe ao nº de comentários aqui escritos porque, por força das redes sociais para os quais o Regionalização automaticamente direcciona (Facebook e Twitter) grande parte dos comentários são agora lá publicados.

Regionalização (Felizes)
.
Portal Regionalização
.
Regionalização no Twitter
..........

Mas se quiser conhecer com todo o detalhe a evolução (fortemente ascendente) do acesso ao Regionalização, pode clicar no fim da página no logotipo 'sitemeter' e aí encontrará toda a estatística e todo o histórico das nossas visitas.

Cumprimentos,

 
At sexta nov 12, 12:40:00 da tarde, Blogger carvalho44 said...

Senhor Templário

Sou leitor frequente desta página e assim tive oportunidade e o ganho de ler as suas opiniões, bem como "salboerro" do Senhor pró-7RA com cujas opiniões me identifico.

"tá bisto, pertenço ao "gang".

Assim permita-me que lhe lembre
, o gangue financeiro centralista e a aliança com os orgãos de justiça centralistas.

Continue a dar o seu parecer e nele estou interessado, até porque a 4ª Republica está para surgir e creio que as preocupações de todos nós estão muito para além do futebol.

Aceite os meus cumprimentos

EdeCarvalho

 
At domingo nov 14, 12:23:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Caro Templário,

A diminuição da minha comparência neste blogue não se identifica, de maneira nenhuma, com desinteresse peos comentários e textos aqui inseridos sobre a regionalização. A sua conclusão, como em determinadas ocasiões foi também aqui alinhada a propósito de temas relacionados com a regionalização, foi precipitada.
A minha 'ausência' deveu-se à necessidade de preparar e defender uma 'tese' para obtenção de outro grau académico em Universidade estrangeira, não tendo sido o tema nada relacionado com a regionalização.
E quanto a 'gangs', deveo adverti-lo que anda bastante distraído, por não ter ainda focalizado no esforço que alguns deles fazem para transformar o nosso País num País pobre. Quem afirma que o nosso País é pobre não sabe o que está a dizer, quem afirma que não precisa da regionalização poderá percebr muito de direito mas é perfeitamente ignorante em temas do desenvolvimento e de aproveitamento de recursos endógenos de uma sociedade. E é pena que isso aconteça a pessoas reconhecidamente inteligentes, a avaliar pelas convocatórias quase permanentes da comunicação social para comentar tudo e mais alguma coisa.
Na verdade, somos um País pobre, mas muito pobre de espírito.
Como costumo escrever: "DEUS NOS VALHA".

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 
At domingo nov 14, 04:26:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Caros Regionalistas,
Caros Centralistas,
Caros Municipalistas,

Muito mais preocupante que as minhas 'ausências' neste blogue é a falta de comentários às minhas opiniões que só pode revelar uma de duas coisas:
1) Desinteresse de quem as lê e por isso não lhes interessa a regionalização.
2) Interesse concordante com as minhas opiniões e, por isso, quem 'cala consente'.
Agora, que ninguém se sirva das minhas 'ausências' para justificar o que não deve nem poder ser jutificado
Mas que é preocupante é!

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 

Enviar um comentário

<< Home