terça-feira, junho 14, 2011

«Embaixadores da Raia»: a Escola pública na promoção da Beira Interior

Jovens vão ser “Embaixadores da Raia”

foto

A partir de agora a raia vai contar com perto de uma centena de divulgadores da região e suas potencialidades e oportunidades. São jovens, alunos do 12º ano de escolas de Figueira de Castelo Rodrigo, Almeida, Sabugal e Penamacor, que durante este ano letivo participaram, através da área de projeto, na iniciativa “100 Muralhas”, desenvolvendo trabalhos originais de divulgação e promoção das potencialidades da zona raiana. Os jovens ficaram ainda a conhecer histórias de sucesso de gente da raia que tudo faz para dar o melhor de si pela sua terra.

Os jovens “Embaixadores da Raia” foram investidos, no sábado passado, numa cerimónia que teve lugar no Pavilhão Multiusos de Vilar Formoso, concelho de Almeida.

A iniciativa, da Cáritas Diocesana da Guarda, com os Agrupamentos de Escolas de Figueira de Castelo Rodrigo, Almeida, Sabugal e Penamacor, foi o culminar de um trabalho realizado por estas entidades durante o ano letivo que agora está prestes a terminar, envolvendo os alunos do 12º ano das escolas dos concelhos da zona raiana.

Segundo Paulo Neves, coordenador do projeto “100 Muralhas”, o objetivo do trabalho realizado foi “despertar estes jovens, que estão a terminar o ensino secundário e agora devem procurar continuar estudos noutras paragens, ou trabalho, que levem consigo o sentimento de pertença desta terra, divulgando-a, promovendo-a, para que possam ser potenciadores deste território”.

Para esse objetivo, o encontro final que decorreu em Vilar Formoso, contou com a colaboração de diversas personalidades da região, mais ou menos conhecidas, que sendo naturais da região, uns tendo feito vida fora outros não deixando a terra, sempre se esforçaram para a promover e valorizar.

Para além dos presentes, Pires Manso, professor catedrático da Universidade da Beira Interior, prestou testemunho em vídeo, por não ter podido estar presente. Este destacou o seu percurso profissional, sendo natural dos Foios, concelho do Sabugal. Lembrou o “potencial paisagístico, os castelos, as aldeias históricas” como fator promocional, que ele próprio usa para trazer gente de visita à raia, mas deixou também um alerta para o estado da agricultura, “débil”, devido às políticas que “pagaram aos trabalhadores para não produzir”. Ainda assim este acredita que a agricultura poderá ser um fator impulsionador da região, “desde que não se pense na agricultura apenas como fator de sobrevivência mas com valor mercantil”.

“Os jovens devem ter orgulho de ser desta região”, disse ainda, lançando um apelo a estes: “depois de se formarem, venham exercer para cá, isso é importante”.

Sucesso motivador

Esta última iniciativa do projeto “100 Muralhas” procurou mostrar aos jovens o sucesso de alguns filhos da raia, que têm apostado em projetos de promoção do território, a vários níveis. Luís Queiroz, de São Pedro do Rio Seco, concelho de Almeida, falou do trabalho que tem desenvolvido na sua terra, procurando dinamiza-la. “É preciso fazer de tudo para que as pessoas se voltem a fixar aqui”, disse. O comediante Telmo Ramalho, que atualmente vive em Lisboa, onde trabalha em teatro, deixou aos jovens algumas ideias dos seus projetos, que procura “trazer cá para mostrar” como quando por cá está recolhe “singularidades desta região” para apresentar nos trabalhos que realiza.

Manuel Rito, também ele do Soito, concelho do Sabugal, contou ao jovens o percurso de uma vida cheia de aventuras e dedicação à região, ele que entre atividade empresarial e social emprega cerca de duas centenas de pessoas na zona raiana.

Outro exemplo, de Figueira de Castelo Rodrigo, foi deixado por António Monteiro, técnico do ICNB, que também aposta num projeto privado de promoção da natureza, naquele concelho, já vai para 10 anos, e que tem logrado sucesso.

O projeto “100 Muralhas” está concluído. A Cáritas acredita que, com iniciativas que serão propostas no futuro, seja possível continuar a envolver os jovens “Embaixadores da Raia” em ações de convívio e promoção do território, “cultivando o espírito e orgulho de ser raiano”.

Por: José Paiva
in Nova Guarda (Guarda, Beira Interior), 01/06/2011

Etiquetas: ,