quinta-feira, março 29, 2012

Porto "melhor destino"

1. O Porto foi eleito por 212 mil turistas como o melhor destino europeu e entre todos estes votos online está lá o meu. Há uns tempos surgiu na Internet uma onda que dizia: vota no Porto! E eu votei. Não é batota: acho mesmo que o Porto é um dos melhores destinos europeus, sobretudo depois de olhar para as cidades que se classificaram nos lugares seguintes - Viena, Dubrovnik, Praga e Bruxelas.

De todas só não conheço a capital da Croácia, mas acho que o Porto é atualmente uma cidade inesperada e jovem, romântica e simples, barata e afetuosa, onde se podem passar dias estupendos com coisas para ver e fazer, animação para as noites e até sol nas praias!


Claro que a "European Consumers Choice" é apenas uma instituição entre muitas que fazem esta eleição, mas as repercussões em guias de turismo como o importantíssimo "trip advisor" não são de desprezar. Sublinhe-se que, se a Ryanair mantiver o padrão de "hard-selling", não custa crer que pode colocar a promoção do Porto como destino recomendado no seu website mundial e, dessa forma, encher ainda mais os aviões. A verdade é que o prémio, reconheçamos, premeia as low-cost que apostaram no Porto, principalmente a Ryanair, Air Berlin, Easyjet e Transavia.


2. Há um facto importante nesta vitória: a extraordinária rede social dentro da região que gerou uma parte da corrente de votos. Informação é poder. Quem sabe mais aproveita melhor o tempo, a vida, viaja com menos custos, torna-se mais qualificado. Portanto, não se trata apenas de uma vitória da cidade como "destino turístico" mas também da confirmação que os portuenses/nortenhos estão cada vez mais preparados para a economia digital. Duplo prémio.

3. O Porto seria ainda uma melhor porta de entrada em Portugal se um dia tivesse aqui comboios rápidos para ligar a Invicta a Braga em 15m, à Galiza ou Salamanca numa hora, Lisboa em 1.30h, Évora e Faro em 2.30h, etc.... Para os novos comboios serem mais baratos não precisariam de ser TGV. Bastariam ser de velocidade elevada, como o Alfa, que podem fazer viagens em velocidade de cruzeiro de 220 km/h. 

Mas, então, por que não anda o Alfa sempre a 220 km/h? Depois das centenas de milhões de euros gastos na Linha do Norte, a viagem Porto-Lisboa demora hoje apenas menos 15m entre Campanhã e Santa Apolónia que o velhinho Foguete dos anos 70. A razão é a Linha do Norte ter um percurso e um urbanismo em redor que não permite refazer a linha nos troços mais críticos (o pior de todos é entre Ovar e Porto). 

O primeiro-ministro, o dr. Portas e os ministros Álvaro e Gaspar deviam ser 'obrigados' a fazer a viagem junto de um maquinista do Alfa numa das próximas viagens ao Norte (até poupavam dinheiro ao Estado e CO2 ao planeta...). O maquinista explicaria como é impossível andar mais depressa, que sinalização falta, o que está a cair, porque há ainda passagens de nível à moda antiga, etc.. 

Percebo que não se queira fazer o TGV - é política. Parece-me é que um desses dias vai ser mais caro "modernizar a linha do Norte" do que fazer uma linha nova... E até quando é que ela aguenta?


@JN
.

Etiquetas: