sexta-feira, abril 13, 2012

Reforma Administrativa Local

Quando os sinos tocam a "dobrar" - Quem morreu ?

Ultimamente esta pergunta tem sido assídua nas aldeias rurais do interior beirão. Os números dos censos de 2011 não escondem a realidade, em como as nossas aldeias estão a sofrer uma hemorragia humana. Um despovoamento acentuado,uma desertificação galopante e um índice de envelhecimento atroz.

No concelho do Fundão a população caiu 7% menos 2.306 pessoas do que em 2001. Por cada 100 jovens com menos de 15 anos, há 207 idosos acima dos 65 anos de idade, enquanto a média nacional se situa nos 120.

"Os fantasmas não fazem a barba" livro escrito em 2003 por Femando Paulouro Neves, foi referenciado pelo Professorda Faculdade de Economia do Porto, António Figueiredo a propósito das jornadas" Em defesa do Interior' realizadas em Castelo Branco, como "uma imagem-história de um barbeiro algures numa aldeia do território das Beiras que se recusou a prosseguir a sua atividade por ausência completa de clientes na sequência do prolongado processo de despovoamento. "E, apenas com fantasmas não é possível ser-se barbeiro".

Vem isto a propósito do despovoamento das nossas freguesias, na altura que decorre o processo da reforma e reorganização administrativa territorial autárquica, é necessário uma visão estratégica para o território e perceber que a ruralidade exige serviços de interesse geral cuja existência não pode estar dependente de critérios económicos e indicadores demográficos.

É verdade que uma reforma, seja do que for, implica á partida, uma mudança, uma nova forma, o que não significa forçosamente o seu uso, e que essa mudança e sua aplicação não seja indiscriminada a toda e qualquer situação.

É do poder local, na sua globalidade, que se trata e não de visões localistas, muitas vezes estreitas por definição e bairristas por natureza.

Uma reforma nunca deve ser feita contra os seus destinatários, mas sim com a participação ativa e atuante dos seus atores locais. Como refere a ANAFRE (Associação Nacionalde Freguesias) os cidadãos sintam-na ser racional, justa, pacificadora, capaz de gerar maior eficiência e eficácia na aplicação de recursos e na assistência às populações mais distantes e mais carenciadas.

As freguesias poderão ganhar dimensão sem perder a re1ação de proximidade com os cidadãos e sem que sejam postos em causa os serviços públicos que prestam.

Ernest Hemingway ao escrever o livro "Por quem os sinos dobram" inspirou-se numa frase do poeta e politico inglês John Donne "não perguntes por quem os sinos dobram, eles dobram por ti". Esta frase é considerada como uma das mais impressionantes algumas vezes descrita sobre a morte. Aplica-se infelizmente ao que está, atualmente, a acontecer às nossas aldeias rurais.

Que o meu concelho, que perdeu quase metade da população que tinha em pouco mais de meio século (em 1960 tinha 47.593 habitantes) tenha uma reorganização justa e equilibrada. Que os órgãos representativos tenham a coragem que se impõe: que escutem as populações, que façam a pedagogia correta: o mais importante é as pessoas e o respeito que merecem exige que sejam tratadas dignamente.

Uma coisa. parece certa: as aldeias de amanhã. serão seguramente diferentes daquelas que hoje conhecemos. Esperemos que o sino continue a ser tocado, porque os fantasmas não o farão. Ficará o sino. Talvez.


@ PAULO SILVEIRA
JUNTA FREGUESIA SALGUEIRO - TRÊS POVOS
.

Etiquetas: ,

4 Opiniões

At sexta abr 13, 11:23:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Sem dúvida. Se nada for feito pelos nossos governantes, se não houver possições para com o interior , háverá aldeias que se tornarão "fantasmas"

 
At sexta abr 13, 01:56:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Olá Freguesia de "Salgueiro" (Fundão):Estamos muito surpreendidos (pela positiva)p vermos uma Freguesia COMUNICAR ON LINE,coisa rara! Pensamo q as Freguesias rurais não podem ser suprimidas, sob pena d s cometer um crime de lesa Pátria.Em nossa opinão,o desenvolvimento do interior (mais do q financiamentos e grandes retóricas) começa precisamente plas potencialidades das suas Freguesias, sendo a COMUNICAÇÃO um dos factores fundamentais.Comuniquemos pois é a falar q a gente se entende.
Cumprts dos Amigos de Montalegre, ao V/dispôr,
AdM
http://amigosdemontalegre.blogs.sapo.pt/
...
amigosdemontalegre@sapo.pt
....

 
At sexta abr 13, 08:22:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Excelente artigo . No dia em que a famigerada lei de extinção de freguesias foi aprovada . Sexta feira 13 .
Todas as freguesias,enquanto tiverem autarcas, principalmente as rurais, no próximo dia 25 de Abril deveriam tocar o sino a dobrar pela morte de freguesias todos à mesma hora.
Fica o repto vamos fazer uma petição neste blog.

 
At sábado abr 14, 03:29:00 da manhã, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Caro Anónimo (08:22:00 PM)

Corroboro esta sua sugestão e vou fazer a minha parte divulgando esta iniciativa.

Cumprimentos

 

Enviar um comentário

<< Home