quarta-feira, maio 02, 2012

"Lembrar o Doutor José Vieira de Carvalho"

- Conferência sobre “Regionalização.

Inserido na iniciativa municipal maiata “Lembrar o Doutor José Vieira de Carvalho” tive o prazer de assistir a uma conferência sobre “Regionalização” – uma causa muito querida ao homenageado – proferida pelo Prof. Doutor Carlos Abreu Amorim, vice-presidente do grupo parlamentar do PSD e um dos paladinos da Regionalização em Portugal.

Pela primeira vez, desde há muitos anos a esta parte, que eu – que não sou regionalista mas sim um municipalista – fiquei seduzido pela argumentação apresentada sobre a matéria e a favor da dita reforma.
Pela primeira vez, desde há muitos anos a esta parte, escutei argumentos inteligentes, bem sustentados e apresentados com eloquência, sentido de humor e frontalidade.
Habituei-me a ouvir a defesa da regionalização a partir de argumentos disparatados, sustentados numa espécie de bairrismo anti-nacional, apelando ao pior que existe em termos de cidadania e de convivência intra-povo. O Prof. Doutor Carlos Abreu Amorim, invocando o exemplo e lembrando a inspiração em José Vieira de Carvalho, fez exactamente o contrário.
Não me fez regionalista – embora também não seja centralista – mas pelo menos fez-me aceitar que o debate sobre a questão deve ser reeditado e feito sem armadilhas como aconteceu no passado.
Na verdade – e nisso concordo inteiramente com o orador – a Constituição da República tem que ser obrigatoriamente alterada para que esse mesmo debate e o eventual processo do mesmo resultante não seja nem inquinado nem impossibilitado.
Aliás, eu que não sou regionalista, nunca percebi a ideia peregrina das sete regiões e na obrigatoriedade de a constituição das mesmas ser simultânea, em vez de ser faseada.
Também é não é muito aceitável, na minha opinião, que por exemplo a Madeira e os Açores se pronunciem se uma dada região continental deva ou não ser constituída. Em bom rigor, e em matéria de referendo, quem se deveria pronunciar sobre a constituição de cada região deveria ser apenas a população do território que compõe essa mesma região. Não faz sentido que um algarvio se pronuncie sobre a bondade ou não da constituição de uma região Norte e vice-versa.
Por outro as regras do referendo sobre a matéria em que é exigida mais de 50% dos votos tendo como universo não a totalidade dos votantes mas o universo total eleitoral é uma perversão democrática.
Vivemos um tempo em que o Estado, por acção do actual governo, é cada vez mais centralista, perigosamente centralista, vivemos um tempo em que esse mesmo Estado abandona sistematicamente grande parte do território nacional (o fecho de escolas, de postos da guarda, dos CTT, dos centros de saúde, etc, representa a saída do Estado dos territórios), vivemos um tempo em que o Estado, por acção do actual governo e maioria parlamentar, tenta aniquilar o Poder Local, vivemos um tempo em que o Estado, através do governo e da não existência de uma política económica, de justiça e diferenciação fiscal, transforma paulatinamente o interior em meros cemitérios ou lar de idosos.
Por isso tudo talvez seja o tempo da questão da Regionalização se tornar a colocar e se calhar municipalistas como eu passem a “ajudar” à causa.

Etiquetas:

7 Opiniões

At quarta mai 02, 03:11:00 da tarde, Anonymous claudio said...

muito bom sim senhor!

 
At quarta mai 02, 04:26:00 da tarde, Anonymous Fernando Romano said...

Ora aqui está um excelente exemplo da causa da regionalização!

Quem é, quem é ele?

O Prof. Doutor Carlos Abreu Amorim, vice-presidente do grupo parlamentar do PSD, um provocador da democracia portuguesa, um membro da camarilha que ajudou a levar ao poder os farsolas PPCoelho/M.Relvas, este governo que está a mergulhar o nosso querido Portugal numa tragédia.

E este faz-me lembrar outro regionalista, da mesma camarilha: Marco António Costa, o chefão de 30 000 membros da distrital do PSD do Porto, o homem que ameaçou PPCoelho/MRelvas: "Ou votas contra o PEC IV ou há eleições no partido", como quem diz, ou votas contra ou eu mobilizo os meus bandos e és demitido de presidente do PSD.

E vejam bem o que esta gente está a fazer a Portugal, aos portugueses, ao nosso futuro. Vejam o que os amorins e costas estão a oferecer ao País.

Imaginem agora estes demagogos à frente de uma Região em Portugal, imaginem!!!

Mas optem por olhar para a realidade à frente dos olhos e vejam o que este governo está a fazer, olhem as estatísticas: percebem o que têm para oferecer para o futuro?

O Amorim é trauliteiro, um caceteiro, um indivíduo que veio da extrema direita para se juntar aos bandos que arruinam Portugal.

 
At quarta mai 02, 04:55:00 da tarde, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Caro Fernando Romano,

Não questiono o valor das considerações que tece sobre o Carlos Abreu Amorim (e outros), no nosso caso só nos interessa o seu posicionamento político nesta questão da Regionalização.

Cumprimentos,

 
At quarta mai 02, 04:58:00 da tarde, Blogger Antonio Almeida Felizes said...

Caro Claudio,

Estou de acordo, é bom, de vez em quando, lembrar algumas pessoas já desaparecidas que se bateram por esta causa da Regionalização.

Cumprimentos,

 
At quarta mai 02, 07:22:00 da tarde, Anonymous Francisco Laranjeira said...

Foi aqui proferido um comentário que,pela sua confrangedora pobreza, reputo de inaceitável.
A intervenção num Blog, num jornal, ou noutra plataforma pública, à semelhança da presença, num monumento, num local de culto, ou cerimonioso, pressupõe e exige que se compreendam e se aceitem as regras do jogo, isto é: todos estes espaços são sagrados, porque, pertencentes à comunidade, em geral. É por isso que, quando assistimos a um concerto, não podemos acompanhar a intensidade dos seus ritmos, com batidelas de tacões de sapatos; quem vai ao Santuário de Fátima, não deve alí fazer a apologia do Corão; quem escreve no jornal, deve dar notícias ou trazer valor acrescentado, aos seus leitores, sob pena d os defraudar; de igual forma, quem intervém num Blog, tem de ter consciência - por muito que isso lhe custe - de que,p além do mesmo ser pertença da comunidade, está alí muito trabalho de alguém e este é, também, um lugar de culto (não de insulto), onde é exigivel que a poluição verbal esteja ausente.
O conteúdo do referido comentário, em meu entender, em nada belisca as personalidades visadas, na medida em que, o que está em causa, são as suas opções politicas, e não insólitas e despropositadas apreciações pessoais que,no caso, a ninguém interessam.
Pessoalmente, dei por mal empregue o minuto que perdi, na tentativa infrutifera, de ficar a saber o conteúdo do que terá dito, algures, uma das personalidades visadas.
Para terminar, direi que: o que verdadeiramente me chocou, no conteúdo do referido infeliz comentário, foi a apologia da acidez, do azedume, do ódio, quiçá da frustração e inveja, o que constitui, um reprovável e péssimo exemplo para a juventude, a qual, é suposto andar por aqui.
Com os m cumprts
Francisco Laranjeira

 
At quinta mai 03, 07:06:00 da tarde, Anonymous claudio said...

oh.... deixem la o homem! se falou do amorim que é ladrao e capitalista, deixa o falar.. o local de facto nao é o mais apropriado... mas ao ponto de se fazer um discurso como o do francisco valha me deus.... a nao ser que seja da familia ou que trabalh€ para o amorim....

 
At quinta mai 03, 10:17:00 da tarde, Anonymous Francisco said...

Sr.Cláudio: Obrigado por ter dedicado um minuto do seu tempo a ler o q aqui escrevi há dias. Repare como são as coisas: tanta palavra gasta, tanto ruido, e nós sem percebermos o conteúdo do q teria dito o sr.Dr.Carlos Abreu Amorim na conferencia, sobre Regionalização,por si proferida, no forum da CM da Maia.
Cumprts,
Francisco.
....

 

Enviar um comentário

<< Home