terça-feira, julho 10, 2012

O Norte que queremos

O Norte é, regra geral, notícia pelos piores motivos. O desemprego, o atraso crónico de algumas regiões, a falta de voz perante o Poder Central.

No entanto, há muito a mostrar para se compreender que vivemos numa região pujante, de cariz exportador e onde, por si só, o resultado da balança comercial é francamente favorável.

É aqui que está a maior universidade do país, e muito justamente considerada uma das 100 melhores da Europa. É no Norte que está instalado o mais competitivo e rentável porto nacional, Leixões. É nesta região que se concentra a esmagadora maioria das empresas exportadoras.

É pelo esforço e vitórias de um clube de futebol (o FC Porto) que o nome do Norte de Portugal vai aos quatro cantos do mundo.

Quisemos mostrar que a depressão não é único sentimento dominante na região. O que recebemos em troca? Muito pouco ou nada. Continuamos a ser vilipendiados pelo poder vigente, assente num centralismo exacerbado e que não está disponível para qualquer mudança que implique a perda de privilégios e mexa com os interesses instalados.

Alterar este estado de coisas passa, obviamente, por uma transformação profunda do aparelho de Estado, promovendo de uma vez por todas um debate sério em torno da Regionalização. Até lá, continuarão a mudar apenas as moscas. 

 Miguel Ângelo Pinto
-

Etiquetas:

25 Opiniões

At terça jul 10, 05:51:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Faz-me uma certa confusão colagem do Porto ao Norte de Portugal. Meu caro o Norte só serve para baixar o pib e outras médias, para o Porto ir buscar mais "taco" à custa dos Minhotos e Transmontanos.
Que vergonha....

 
At terça jul 10, 08:30:00 da tarde, Anonymous Paulo Costa said...

Apesar de ser do Porto e de considerar a sua área metropolitana como o principal pólo dinamizador da região Norte, tenho que reconhecer que há muita gente que confunde o Porto com a região Norte e que pensa que tudo o que é bom (ou mau) para aqui é, igualmente bom (mau) para a restante Norte.
É por estas e por outras que eu entendo que esta região se deveria chamar 'Porto e Norte de Portugal'

 
At quarta jul 11, 01:25:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Eu acho que o planeta Terra se devia chamar "Porto e resto do mundo".
Que VERGONHA......

 
At quarta jul 11, 01:28:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Sou Minhoto, e esse regionalismo centralista Porteiro enoja-me.

 
At quarta jul 11, 03:31:00 da tarde, Anonymous Paulo Costa said...

Pelos vistos há gente que prefere os malefícios, mais que evidentes, do centralismo radical vigente a partilhar com o 'Porto' os destinos de uma autarquia regional comum.

 
At quarta jul 11, 05:36:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Mesmo com esse "centralismo radical vigente" O Porto é a 2ª RM que mais "mama" logo a seguir a Lisboa.
Eu imagino como seria com o centralismo Porteiro.

 
At quarta jul 11, 11:38:00 da tarde, Anonymous Fernando Romano said...

Se os regionalistas do Porto pensassem em pôr na rua o actual governo, que foi levado ao poder por regionalistas manhosos e oportunistas como Filipe Menezes e Marco António (para não dizer de P. da Costa), isso é que seria uma boa atitude política.

Toda essa treta da regionalização não passa de poeira para os olhos para manter à tona uma caterva de oportunistas que campeiam na política portuguesa, especialmente agora, no governo.

E olhem que há lá gente do Norte que nunca mais acaba!

Pensem mas é em combater este governo que nos está a levar para uma tragédia.

Em Portugal nunca haverá regionalização - por razões históricas e culturais.

Ponto final!

Convençam-se! Os "militantes regionalistas" dos partidos,´na sua maioria é gente ressabiada que não conseguiu um lugarzito aqui e ali, ou arregimentada porque têm familiares no aparelho de Estado à custa de cunhas de regionalistas.

Gente que fez parte das listas B que perderam para as listas A.

Vejam lá bem se não é assim?

 
At quinta jul 12, 11:59:00 da manhã, Anonymous claudio said...

mas quem é que vos disse que os regionalistas defendem essas pessoas no poder? isso é estupido! é obvio que nao vou meter a gente que ta agora no poder por mais regionalista que seja á frente de uma regiao.... os interesses ja estao instalados...

queremos é gente fresca e nova á frente do pais e de regioes, nao os mamoes que ja por ai andam!

 
At quinta jul 12, 06:55:00 da tarde, Anonymous Fernando Romano said...

Com que então gente nova?! Para o senhor, ser novo é garantia de qualidade e seriedade.... Provavelmente quer dizer gente que ainda não tenha tido funções governativas, fresquinhos, acabados de apanhar...; ainda sem cheiro do mobiliário e corredores oficiais.... Portanto, todos os governantes, actuais e anteriores, devem ser levados na mesma carrada - a carrada dos imprestáveis.

Caro comentador, o problemas está dentro dos partidos, é aí que é preciso travar o combate (e não só), correr com pessoas como Menezes, MAntónios, Relvas, Passos Coelhos e outros da sua laia, libertar o sistema partidário. Se não é militante do partido com que se identifica, pois aconselho-o a aderir e a travar aí o combate aos oportunistas e não defender o fateamento da pátria, como querem alguns demagogos e caciques como os que referi anteriormente.

Claro que há outras formas.

 
At sexta jul 13, 08:22:00 da tarde, Anonymous claudio said...

entao para si nao hagente decente e honesta! é tudo corrupto. somos um povo miseravel! é isso?

eu quero ser politico e sou uma pessoa decente com integriddae! e agora?

o conselho que me deu voce tambem o pode fazer! une se a um partido que nao gosta e combata o poder de dentro. se conseguir!!!! boa sorte! nao foi por acaso que voce mencionou os nomes que mencionou, é que eles sao de uma influencia extrema e sem eles no poder o seu trabalho iria ser facilitado!!!!! assim era bom era!!! mas n é o trabalho de uma pessoa, nem de um grupo de pessoas. os partidos de esquerda lutam aos anos contra a corrupcao e o povo , leia se massas, nunca lhes deram voz...

e ó amigo a europa é quase toda regionalizada e isso so trouxe beneficios: franca, alemanha, inglaterra, belgica e mais........ metam na cabeca que tem que haver poder intermedios entre governo e poder local!!!! um governo nao pode educar nem tomar conta de 308 filhos! é impossivel!!!

 
At sexta jul 13, 11:58:00 da tarde, Anonymous Fernando Romano said...

Senhor Cláudio,

Leva a supor que padece de ileteracia. Não soube ler meu comentário.

Mas não admira, quando lemos isto escrito por si:

"e ó amigo a europa é quase toda regionalizada e isso so trouxe beneficios: franca, alemanha, inglaterra, belgica e mais........ metam na cabeca que tem que haver poder intermedios entre governo e poder local!!!! um governo nao pode educar nem tomar conta de 308 filhos! é impossivel!!!"

O senhor lê pouco, estuda pouco, nõ gosta mesmo nada de Hoistória. Se o fizesse não escrevia estas babuseiras.

Vá aí à biblioteca municipal, inscreva-se como leitor, têm lá livros mais que suficientes para atacar essas teias de aranha que tem nos miolos, para poder falar com alguma propriedade sobre as coisas, especialmente sobre a regionalização nesses países, para depois a perceber no nosso País.

Mas já o previno: precisa de ler muitos milhares de páginas. Pelas minhas contas nunca menos de vinte mil, incluindo a história do nosso País. E depois de o fazer, não se arme muito em carapau de corrida.

Não leve a mal. Só estou a incentivá-lo, a estimulá-lo.

 
At sábado jul 14, 12:03:00 da manhã, Anonymous Fernando Romano said...

CORREÇÃO ORTOGRÁFICA:

E com a pressa ficaram lá dois erros ortográficos:

Deve ler-se Iliteracia e não "Ileteracia".

Deve ler-se Baboseiras e não "Babuseiras".

Acontece aos melhores....

 
At sábado jul 14, 01:25:00 da manhã, Anonymous Paulo Costa said...

Já vi que anda por aqui gente que pensa que sabe tudo e, pior, pensa que é na história que está a justificação para a sua cruzada anti-regionalização.
Mas, isto até nem tem nada de mal, as divergências de opiniões não me preocupam e até as acho salutar. Agora é inaceitável, para não dizer outra coisa, vir para aqui exibir uma suposta superioridade cultural e científica que ninguém lhe reconheceu.

 
At sábado jul 14, 10:23:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Vamos regionalizar.
Rumo ao centralismo Porteiro.
Vai ser maravilhoso.

 
At sábado jul 14, 02:39:00 da tarde, Anonymous Fernando Romano said...

Senhor Paulo Costa,

Não há nenhuma superioridade cultural e científica de minha parte. Quando muito poderia definir o meu comentário como provocatório, e estaria mais próximo da verdade. E aí eu aceitava.

Pois é mesmo pela nossa história que se deve começar para abordar a temática da regionalização em Portugal. Como aconteceu nos outros países.

Repare numa omissão do Sr. Cláudio (dos senhores cláudios) quando refere exemplos dos outros países...: tempos atrás, a Espanha das nações vinha sempre em primeiro lugar, A Madeira de AJJardim era o pão nosso de cada dia para argumentar a favor da regionalização. Sabe-se porque abandonaram esses exemplos....

França, Inglaterra, Alemanha e Bélgica...?! A razão da minha provocação é para evidenciar que as pessoas não sabem do que estão a falar. Na segunda metade do séc. passado a França reorganizou a sua administração territorial através de estudos, investigações, debates intensos, foi um processo prolongado, onde pontificavam os chamados sábios em várias áreas do conhecimento e em dialética com as populações.. E para quê? Para satisfazer milenárias reivindicações históricas, culturais, étnicas (e até linguísticas), que as reformas centralistas napoleónicas quiseram atabafar. Obviamente que estas medidas não podem ser implementadas por "doutores" da mula ruça, como é o caso das freguesias.

Sim, tem razão, ninguém me reconheceu os tais atributos científicos; mas quem sabe se uma dessas universidades que andam por aí....

Foi por isso que, provocatoriamente, desafiei muitos paladinos da regionalização a lerem as tais 20 mil páginas, coisa que dá uma trabalheira do caraças - há sempre uma Lusófona para colmatar...

Os regionalistas não conseguem fundamentar a necessidade da regionalização. Querem-na a golpe sem ouvir o povo, porque sabem que o povo português não a quer, que se trata de uma questão de bandos e de gangues, organizados, muitos deles, no seio de um proletariado parido pela nossa "classe" política: os excedentários que se habituaram a viver das tetas da Vaca Nacional, que começou a não dar o leitinho do céu em suficiência.

É um negócio! É mesmo um negócio senhor Paulo Costa.

Olhe para a aliança que se está a consolidar em Porto/Gaia entre os senhores Pinto da Costa/Menezes/Marco António e Cia..., regionalistas perigosos que o povo derrotou nas urnas nas últimas três eleições autárquicas - sem apelo nem agravo.

Cumprimentos.

 
At domingo jul 15, 02:32:00 da manhã, Anonymous Paulo Costa said...

Sr. Fernando Romano,

Do seu longo comentário, apesar de discordar de quase tudo, não vou perder tempo a apresentar o contraditório pois, está mais que visto, que seria uma manifesta perda de tempo.

Agora quando diz "Pinto da Costa/Menezes/Marco António e Cia..., regionalistas perigosos que o povo derrotou nas urnas nas últimas três eleições autárquicas - sem apelo nem agravo", sinceramente não percebo isto, pois o Sr. Pinto da Costa nunca foi candidato autárquico e o Sr Menezes e Sr Marco António, por acaso até foram muito bem sucedidos nas 3 ultimas eleições autárquicas que disputaram.

Cumprimentos

 
At domingo jul 15, 12:33:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Claro que o Pinto da Costa foi derrotado, pois fez campanha contra o Rui Rio, por sinal alguém que viria a arrumar as finanças da câmara do Porto, ao acabar com a promiscuidade entre a politica e o futebol.

 
At domingo jul 15, 01:07:00 da tarde, Anonymous Fernando Romano said...

Senhor Paulo Costa,

Nunca se perde tempo na controvérsia política. Devemos intensificá-la o mais possível, em desfavor do seguidismo, da subserviência a chefes, líderes e grupos. O que mais nos faz falta é debater as coisas da nossa vida coletiva.

Tem razão. Não fui claro no meu comentário. O que eu queria dizer é que os regionalistas do Porto, onde pontifica Pinto da Costa, e outros, como Fernando Gomes do PS, e Assis do PS (que até estimo), foram por três vezes consecutivas derrotados em toda a linha. Os portuenses conhecem-nos de ginjeira. Não sou simpatizante do PSD, mas Rui Rio deu-lhes uma banhada daquelas. E sabe porquê? Porque é um político sério, não entra em golpadas contra o povo. É um bom servidor da Res Publica. Não é demagógico. Bem que eu gostava de o ver como primeiro ministro no lugar do parvalhão, do farsolas do PPCoelho e restantes membros do seu gangue, de que fazem parte LFMenezes e Marco António.

Já quanto a Menezes (e Marco António), saíu do presidência do PSD como um político populista e oportunista. Foi esssa envolvência que pretendi, mas expliquei-me mal.

Fala-se muito de Miguel Relvas, mas não esqueça que Menezes, MAntónio, Relvas e PPCoelho são consubstanciais - a mesma camarilha.

 
At domingo jul 15, 06:41:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Como é óbvio.

 
At segunda jul 16, 05:42:00 da tarde, Anonymous Paulo Costa said...

Sr. Fernando Romano,

Agora que corrigiu a situação relativa às personagens que evocou no comentário anterior, já entendo o seu raciocínio e, até concordo, em grande parte com o que diz sobre eles e as suas relações de poder. Veja-se a este propósito a intenção do PSD alterar a chamada lei dos mandatos autárquicos, no sentido de continuar a dar guarida a estes (e outros) senhores.

Cumprimentos,

 
At terça jul 17, 08:49:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Como é óbvio.

 
At terça jul 17, 02:08:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Exmºs Srs comentadores:
Proponho q se crie uma plataforma de discussão p se abordarem problemas da nossa Região Norte (se não for Reg.Norte, será outra coisa qualquer), cujos temas serão escolhidos por consenso entre os intervenientes. O facto de haver bastantes comentários é sinal d q há gente com vontade de dizer algo e, essa energia deve ser aproveitada. No entanto este modelo (comentarios ao acaso) penso q não serve p s dizerem coisas com seriedade e profundidade. Falar sobre vários temas ao mesmo tempo é q m parece ser uma dispersão de ideias e uma perda de tempo. Pessoalmente estou disponivel p participar num debate, onde os intervenientes estejam identificados, através de e-mail, nome, etc. Estou disponivel para debater o q acharem útil para a nossa região (provisóriamente) do Norte.
Cumprts
Francisco

 
At terça jul 17, 04:54:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

"O NORTE QUE QUEREMOS..."
1) "...continuamos a ser vilipendiados pelo poder vigente, assente num centralismo exacerbado e que não está disponível para qualquer mudança que implique a perda de privilégios e mexa com os interesses instalados..." Muito obrigado Sr jornalista, analista, articulista mas, isto, já nós estamos fartos de saber ! O que nós e o Norte precisamos é d ideias, acções, e não "conversa fiada de mesa de café"! Em vez de populismos fáceis apresente-nos uma proposta de trabalho, séria, com conteúdo, qualquer coisa q sirva de exemplo para os mais novos ! q nos faça pensar e agir.
2) "...alterar este estado de coisas passa, obviamente, por uma transformação profunda do aparelho de Estado..."! Uma alteração profunda do aparelho de Estado... ! ena pá, isto é cá uma cavadela das grandes, uma grande e genial tirada (digna de Nuno Rogeiro ou afins), entoa pra chúchú ! E que tal uma transformação profunda na forma de fazer jornalismo !? a começar por sí !? sem incendiar mentalidades, sem ruidos, sem bicos de pés, mas com espirito patriotico e regional, sempre comedidamente !?
3) "...promovendo de uma vez por todas um debate sério em torno da Regionalização..." E não só (digo eu)! Aqui, já me calo. Embora eu gostasse mais de ouvir de VExª uma sugestão p o q deve ser um debate sério. Dizer-se: "deve-se promover", "os outros devem fazer" etc,etc, é muito fácil. O dificil é o Sr escrever no seu Jornal, meus amigos: penso q deviamos começar por fazer isto... para isto ir pra frente q acham !? Assumir é q é dificil mas, é isso q dignifica qualquer profissional.
Mas, Sr.Jornalista, deixo-lhe aqui uma sugestão: o Sr cativa muito mais clientes para o seu Jornal se abordar temas com sinceridade e honestidade intelectual e não com populismos de duvidosa procedendia, poeira ou chamas da discordia, porq as pessoas não são estúpidas.
O NORTE DEVE, PODE E TEM TODAS AS CONDIÇÕES PARA SER MAIS FORTE, DESDE QUE TODOS NÓS, NORTENHOS, SEJAMOS MAIS HONESTOS: PARA COM A NOSSA REGIÃO, A NOSSA PÁTRIA, OS NOSSOS DESCENDENTES E, CONNOSCO PRÓPRIOS.
Cumprts, Francisco.

 
At terça jul 17, 11:31:00 da tarde, Anonymous Fernando Romano said...

AOS COMENTADORES
DAS 02:08:00
DAS 04:54:00

Desculpem lá caros comentadores, o que nós temos de debater é o nosso País, Portugal e os problemas do nosso coletivo.

E mais: o que nós temos de debater é o funcionamento do nosso sistema partidário, pilar da nossa democracia, para que gangues e camarilhas não se apoderem do poder a golpe, com burlas e mentiras, para exclusiva satisfação da pior maladrangem que pulula no nosso sistema partidário e, subsequentemente, na vida política e administração pública em gera.

Este governo que nos encaminha para uma tragédia, se forem a ver bem, friamente, sem antolhos, é obra de caciques regionalistas. Essa é que é essa!

Não foi Marco António que, depois do PSD de manhã ter declarado que aceitava o PEC IV, e até o elogiou, disse nesse mesmo dia à noite a Passos Coelho: "OU DEITAS SÓCRATES ABAIXO OU VAMOS PARA ELEIÇÕES NO PARTIDO!".

Foi ou não foi assim?

Foi!

E foram MAntónio, LFMenezes e o impagável Bota do Akgarve.

Pois debatamos isto.

 
At quarta jul 18, 08:44:00 da manhã, Anonymous Anónimo said...

E o Sócrates não era um sacana?

 

Enviar um comentário

<< Home