sexta-feira, agosto 02, 2013

Centralismo a quanto obrigas...!

Passos Coelho e os 4400 boys

O título não é apenas uma graça. Um estudo feito ontem pelo "Diário de Notícias", e que passou mais despercebido do que merecia, dá conta que este Governo nomeou já 4463 pessoas, seja para gabinetes ministeriais (1027), para grupos de trabalho e comissões (1819) e cargos dirigentes da Função Pública (1617).

Os números, como tudo, podem ter muitas leituras. Mas se compararmos com os dois primeiros anos de Sócrates, estes pedem meças. O ex-líder socialista nomeou, entre 2005 e 2007 (com mais ministérios do que Passos), 1077 pessoas para os gabinetes, portanto mais 50. Mas Sócrates já nomeara menos 63 pessoas do que o seu antecessor Durão Barroso fizera entre 2002 e 2004. Há portanto, aqui uma descida consistente: em 10 anos e depois de uma crise monstruosa, conseguimos reduzir 113 boys nos gabinetes. Isto num universo de milhares. É ridículo!

Em abril de 2005 dissera Passos: "Um membro do governo tem direito a escolher um chefe de gabinete, uma ou duas secretárias de confiança e um ou dois adjuntos. Acabou". Estamos de acordo (ou melhor eu estou de acordo com o que ele dizia). Isso significa que cada ministro teria apenas direito a cinco pessoas, o resto ia buscar aos serviços do seu ministério.

Por isso, contas por alto haverá 900 e tal boys a mais. Façam o favor... E comecem pelos célebres especialistas de 20 anos. Já agora, aposto que há membros da Administração com qualificação para os grupos de trabalho e comissões, assim como para vários cargos de direção da função pública.

Se a isto somarmos a dispensa dos inúmeros consultores e gabinetes de advogados, podemos dizer, sem medo: olha que bela maneira de começar a reforma do Estado.


Etiquetas: