sexta-feira, novembro 14, 2008

TGV

"E quanto ao TGV?"


- Não estou tão seguro de que seja uma coisa tão estruturante para um país como Portugal. A linha do Porto poderá sê-lo, em termos de desenvolvimento da região e de ligação à Galiza.

Contudo, é uma questão de integração de Portugal na Europa Portugal é um país periférico e não pode ficar marginalizado na rede de alta velocidade europeia A ligação a Madrid é, portanto, uma questão estratégica."
*
(excerto de entrevista a Francisco Murteira Nabo (Bastonário da Ordem dos Economistas), publicada em 08/08/12, no Diário Económico, sob o título "Se não há privados cabe ao Estado investir")

J. Cadima Ribeiro

2 Opiniões

At sexta nov 14, 08:52:00 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Caros Regionalistas,
Caros Centralistas,
Caros Municipalistas,

O que se escreveu em relação ao problema dos investimentos em aeroportos também é válido para os investimentos em transportes ferroviários, com ou sem TGV.
Relembra-se ainda que, no caso do transporte ferroviário, as respectivas infraestruturas pode ter uma utilização mais diversificada, onde as viagens turísticas e o acompanhamento da história podem promover um efeito multiplicador positivo na economia de uma Região ou de várias Regiões.
Basta investir na recuperação dessas infraestruturas, existentes ou desaparecidas, e apresentar serviços de transporte que nunca possam ser desdenhados ou mesmo desprezados pelas populações devido à sua falta de qualidade e de interesse colectivo.

Sem mais nem menos.

Anónimo pró-7RA. (sempre com ponto final)

 
At sexta nov 14, 09:31:00 da tarde, Blogger JOSÉ MODESTO said...

Dizem?
Esquecem.
Não dizem?
Dissessem.

Fazem?
Fatal.
Não fazem?
Igual.

Porquê
Esperar?
- Tudo é
Sonhar

FERNANDO PESSOA e tão actual!!!

 

Enviar um comentário

<< Home